João Alves: a "borrada" do não ao Real Madrid e a curiosa história de Pauleta

João Alves: a "borrada" do não ao Real Madrid e a curiosa história de Pauleta

Novo treinador da Académica representou o Salamanca enquanto jogador e, mais tarde, também orientou o clube espanhol.

Em 1978, João Alves esteve a um passo de se transferir para o Real Madrid. Na altura, o agora treinador da Académica atuava no Salamanca e foi considerado o melhor jogador estrangeiro da Liga espanhola, mas acabou por recusar uma oferta tentadora dos "merengues", decisão que, hoje em dia, classifica como "borrada".

"Fiz uma borrada, perdi uma grande oportunidade, era o melhor que podia acontecer. Recusei jogar no melhor clube do mundo e a culpa foi minha. Não aceitei a oferta porque queria jogar no Benfica, mas o negócio entre Salamanca e Real Madrid estava feito", contou o técnico de 65 anos, em entrevista à agência EFE.

Já como treinador, João Alves regressou ao Salamanca em 1996, onde trabalhou com Pauleta, antigo internacional português e segundo melhor marcador de sempre da Seleção Nacional, apenas atrás de Cristiano Ronaldo. A ida do ponta-de-lança para o clube espanhol esteve por um fio, mas João Alves fez o "forcing" final:

"O que aconteceu com o Pauleta é simples de explicar. Ele tinha 23 anos e chegava livre ao Salamanca, mas o departamento médico recusou-o porque tinha uma pubalgia, algo que a maior partes dos jogadores tem. Disse ao presidente Juan José Hidalgo que assumia a responsabilidade pelo Pauleta e ele confiou em mim, tramámos o departamento médico. Agora, eu e o Pauleta mantemos uma excelente relação", revelou.