A ideia que explica as 65 pizzas ao intervalo do Académica-Famalicão

A ideia que explica as 65 pizzas ao intervalo do Académica-Famalicão

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

João Maia

Tópicos

Famalicão encomendou 65 pizzas a uma hora do jogo com a Académica e distribuiu-as por cerca de 250 adeptos ao intervalo

O JOGO teve conhecimento, através do departamento de comunicação do Famalicão, que o clube iria levar a cabo uma ação no intervalo do jogo com a Académica pouco antes da partida começar. Poderia pensar-se que seria algo solidário, já que a época do Natal é propícia a isso. Mas não. O Famalicão inovou e o espanto foi geral quando três elementos dos minhotos atravessaram o relvado carregadinhos de...pizzas, a quem foram entregar aos cerca de 250 adeptos que se deslocaram a Coimbra. Ao todo, foram 65 as pizzas compradas pelo Famalicão. A ideia veio de Miguel Ribeiro, CEO dos famalicenses, tendo depois sido explorada pelo marketing e comunicação do clube e foi naturalmente aplaudida pelos adeptos.

A pizza foi o meio mais fácil que o Famalicão encontrou para confortar a barriga dos apoiantes num jogo que se disputou à hora de jantar e até a distribuidora das pizzas estranhou o pedido. Aliás, a distribuidora terá dito, numa primeira fase, que 65 pizzas eram uma quantidade demasiado grande para a loja em si, mas depois acabou por aceder ao pedido.

João Dias, adepto do Famalicão que esteve em Coimbra, contou a O JOGO como foi viver a, até ver, inédita iniciativa em Portugal. "Fiquei muito surpreendido. Não estava à espera até porque nunca tinha visto nada igual", começa por dizer. A imagem de marca de Itália veio a calhar pois a barriga já estava a dar horas. "Foi mesmo naquela hora ideal, onde a barriga já pede pois fui direto do trabalho para acompanhar o clube do coração", contou. Das 65 pizzas, nada sobrou e só não houve partilha com os adeptos rivais devido à separação física entre bancadas. "Toda a gente comeu, aliás passamos as caixas uns para os outros e não sobrou nada. Alguns adeptos da Académica, da bancada central estavam sorridentes a dizer que também queriam mas infelizmente não tinhamos acesso aquela bancada para poder partilhar", revelou.

A partida foi transmitida em direto e os telefonemas não tardaram a chegar para quem estava na cidade do conhecimento. "Recebemos mensagens logo quando a iniciativa aconteceu pois estava a passar em direto na televisão. Com o video do clube tive muitas mensagens e telefonemas de pessoas de fora de Famalicão até a enaltecer o clube e a iniciativa", atirou.

Do guarda-redes ao treinador, a pizza é uma cobaia

Pizzas e futebol não são realidades dissociadas. Em janeiro deste ano, Chris Neal, guarda-redes do Fleetwood Town, recebeu um ano de pizzas grátis depois de ter sido o principal responsável do empate da equipa da "Divsion One" (o terceiro escalão inglês) frente ao Leicester (0-0) na Taça de Inglaterra.

Por falar em Leicester, também foi com pizzas que Claudio Ranieri motivou os "foxes" no caminho para um inédito e histórico título em 2015/16. Para contornar o número excessivo de golos que o Leicester estava a sofrer, Claudio Ranieri prometeu, antes da décima jornada com o Crystal Palace, que o plantel receberia uma pizza se não sofressem golos. O Leicester ganhou 1-0, mas Ranieri disse aos jogadores que teriam que ser eles próprios a prepararem as pizzas. Seguiram-se 14 jogos com a "ficha limpa" e o Leicester foi campeão.