Deco na Oliveirense para colocar equipa na I Liga

Deco na Oliveirense para colocar equipa na I Liga
Ana Catelas

Tópicos

Obras de reconstrução do Estádio Carlos Osório arrancam em outubro e ao fim de nove meses a Oliveirense espera voltar a jogar em casa.

Depois de terem aprovado previamente a formação da SAD numa anterior assembleia, os sócios da Oliveirense aprovaram, na noite de quinta-feira, o projeto apresentado pela Direção e que tem o grupo económico Panther Sports Enterprise, no qual Deco é a figura mais mediática, a investir no emblema de Oliveira de Azeméis. Assim, a SDUQ, que geriu o futebol da Oliveirense nos últimos anos, vai ser transformada em SAD, que terá dois representantes do grupo investidor na sua Direção, enquanto o clube será representado por um elemento, que deverá ser o presidente da Oliveirense.

A obra mais premente da Oliveirense, e que levou a Direção a apostar na SAD, é a reconstrução do "velhinho" Estádio Carlos Osório. Prevendo que a constituição da SAD estará concluída até final de agosto, as obras no estádio devem arrancar no decorrer do mês de outubro e concluídas até julho de 2019 para que a Oliveirense arranque na próxima temporada já na nova casa. De acordo com números revelados pelo presidente da Direção, Horácio Bastos, o orçamento prevê um investimento de 2,5 milhões de euros numa primeira fase, que inclui a construção de duas bancadas com capacidade para 5100 lugares sentados. A bancada no topo sul, os balneários, zona técnica, parque de estacionamento, sala de conferência de imprensa vão ficar por baixo da bancada. No intervalo das duas bancadas vão existir dois bares e os escritórios. Na bancada central, aquela que hoje existe vai dar lugar a uma nova com camarote (1º piso) e lugares para a comunicação social (2º piso). "Numa 2ª fase, que será feita aquando de uma subida à I Liga, será construída a bancada no topo norte", acrescentou Horácio Bastos, garantindo que todo o património ficará em nome do clube e não da SAD.

Além de investir na reconstrução do Estádio Carlos Osório, a SAD tem outro objetivo para o futebol da Oliveirense: colocar a equipa de futebol na I Liga, ficando o emblema de Oliveira de Azeméis com as três modalidades a competir nos principais campeonatos portugueses. "Estamos aqui para valorizar ativos, ganhar o máximo de jogos possíveis e colocar a Oliveirense na I Liga. Temos capacidade para isso. Tivemos que enveredar por uma SAD, porque de outra forma não conseguíamos fazer as obras nem investir na equipa para chegar lá cima", salientou o presidente da Direção.

SAD só para o futebol

Conforme explicou ainda Horácio Bastos aos cerca de 70 associados presentes no Pavilhão Dr. Salvador Machado, a SAD será exclusivamente para o futebol, englobando a equipa sénior e também os juniores. "Queremos preservar a formação e tirar o máximo proveito desses jogadores para o futebol profissional", afirmou o dirigente, revelando que 70 por cento do capital será alienado pela SAD e 30 por cento fica nas mãos do clube. Além de salvaguardar o património do clube, a Direção garantiu ainda que o clube receba 10 por cento dos lucros da SAD, mas, em caso de prejuízo, não terá que entrar com qualquer capital.

Clube espera mais investimentos por parte da SAD

Além do investimento que vai permitir a reconstrução do Estádio Carlos Osório, a Direção da Oliveirense conta que a SAD crie outras condições, nomeadamente a construção de mais um campo para treinos e adquira equipamentos para o posto médico. "Essas condições criadas vão ficar sempre no clube", reforçou o presidente da Oliveirense, adiantando que a manutenção do património e o pagamento aos funcionários também está assegurada pela SAD.