Caetano na despedida: "Joguei com duas camisolas, estava confiante que ia marcar"

Caetano na despedida: "Joguei com duas camisolas, estava confiante que ia marcar"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Redação

Tópicos

Caetano fez este domingo o último jogo da carreira e foi eleito homem do jogo, depois de ter marcado o golo da vitória do Varzim (2-1) em casa do Penafiel.

No jogo de despedida dos relvados, Rui Caetano entrou na segunda parte e marcou o golo que deu a vitória do Varzim por 2-1 sobre o Penafiel.

"Só queria agradecer ao futebol. Foi um prazer muito grande ter sido jogador de futebol. Foi uma decisão junto da minha família, agora vou abraçar os projetos da família e começar uma nova etapa na minha vida. Mas quero agradecer a todos os colegas, treinadores, todos os que privaram comigo no futebol. Sou eternamente grato ao futebol, foi a melhor licenciatura que eu podia ter tirado. Estou grato e muito orgulhoso da minha carreira, agora vou começar a construir uma nova", disse o avançado de 29 anos na flash interview da SportTV.

Caetano lembrou a despedida "especial" por acabar a carreira em Penafiel, clube que representou, tal como o pai. "Hoje era um dia especial. Acabei em Penafiel, que é o clube da minha família, da minha namorada. Tenho um sentimento especial. Pedi ao presidente do Varzim para acabar a carreira aqui e quero agradecer-lhe. Hoje em dia há poucos presidentes assim, que estão para servir o clube e não para se servirem dele. Estou extremamente agradecido a todos os clubes por onde passei. Sou extremamente agradecido, fui muito feliz", acrescentou.

O jogador formado no Paredes e no FC Porto deixou ainda uma mensagem à família, que sempre o acompanhou. "A decisão estava tomada. Joguei com duas camisolas, porque estava confiante de que ia fazer golo. Fui dar a camisola à minha mãe, que esteve sempre presente. Quando era escolinha no Paredes e quando joguei a Liga dos Campeões pelo Paços de Ferreira. Fui-lhe agradecer, porque esteve sempre comigo", afirmou, antes de escolher o momento mais alto desta caminhada.

"Tive bons momentos na minha carreira. Jogar a final da Taça da Liga, a Liga dos Campeões, a Liga Europa... Mas, se calhar, o momento mais alto foi a final do Campeonato do Mundo de sub-20 contra o Brasil, na Colômbia", finalizou.