António Fiusa: "Sem SAD só teríamos equipas para a 3.ª Divisão"

António Fiusa: "Sem SAD só teríamos equipas para a 3.ª Divisão"
Miguel Ribeiro

Tópicos

Assembleia-geral do Gil Vicente aprovou a transformação da atual SDUQ para o futebol profissional do clube numa SAD.

A Assembleia-geral do Gil Vicente aprovou a transformação da atual SDUQ para o futebol profissional do clube numa SAD, dando assim sequência à proposta da Direção que pretende encontrar novos investidores, nomeadamente estrangeiros.

A reunião magna, que terminou já de madrugada, aprovou a proposta do presidente António Fiusa, com 830 votos a favor, 230 contra e 25 abstenções, embora a troca de argumentos tenha chegado a provocar um ambiente quente, sobretudo porque os sócios mostraram algumas duvidas quanto à possibilidade de ceder a um investidor externo a maioria do capital da futura SAD, algo que o próprio António Fiusa admitiu como "o mais provável" "Ninguém quererá investir no Gil Vicente para depois não ter qualquer poder de decisão", disse. Um dos maiores opositores da proposta da direção gilista foi o ex-presidente João Magalhães, que votou contra, considerando que "é possível encontrar outras soluções".

"Sem SAD só teríamos equipas para a 3.ª Divisão", alertou António Fiusa, dando como exemplos "o Estoril que estava para acabar, transformou-se numa SAD, vendeu a maioria à Traffic e acabou a disputar a Europa". Por outro lado, o dirigente reconheceu que "todos os meses são precisas engenharias financeiras para conseguir pagar ordenados e manter o clube a funcionar", lamentando ainda o facto de existirem apenas mil sócios pagantes o que torna "o clube insustentável com receitas de 31 mil euros anuais das quotizações e 73 mil da venda de lugares anuais".

Assim, com a mudança aprovada, o clube irá procurar investidores que, segundo António Fiusa, "ainda não existem", e posteriormente nova Assembleia-geral será convocada para aprovar os estatutos da nova SAD.