"Aconteceu o que era expetável"

O treinador do Gil Vicente, João de Deus, assumiu que a tática passava por entregar o domínio do jogo ao Vitória de Guimarães.

A tática funcionou: "Era esta a estratégia que tínhamos. Parece-me que aconteceu o que era expetável, o Vitória de Guimarães com maior domínio de jogo e nós a sairmos em transição com critério, e funcionou"

Ausência de César Peixoto: "Gosto de olhar para as coisas numa perspetiva positiva: com a titularidade do Alphonse, o Gil Vicente lançou o 11º jogador sem experiência de I Liga, esta época. Este é o caminho que o clube decidiu traçar. Parece-me que, com maior ou menor dificuldade, vamos conseguir o objetivo da permanência, porque o segundo objetivo já está conseguido: lançar 11 jovens é criar as bases para um futuro risonho"

A quatro pontos da meta dos 30: "Chegar aos 30 pontos é garantir, de forma objetiva, a permanência. É para isso que lutamos desde o primeiro momento. Nunca nos desviámos desse caminho, quando as coisas nos correram muito bem e nem quando correram muito mal. São estas as nossas possibilidades e é com essas que vamos jogar"

Equilíbrio: "Todos sentimos que estes últimos quatro jogos foram um ponto de viragem. Naturalmente que, em casa, somos uma equipa diferente da que jogou hoje e da que joga, habitualmente, fora, mas, parece-me, acima de tudo, que voltámos a estabilizar, com um espírito de conquista que é salutar. Dentro de pouco tempo, vamos conseguir alcançar os 30 pontos"