"Não foi pelo árbitro que o Beira-Mar não pontuou"

"Não foi pelo árbitro que o Beira-Mar não pontuou"

Apesar da derrota, o treinador da formação aveirense mostrou-se muito satisfeito pela resposta dos jogadores

Costinha mostrou-se muito satisfeito com a atitude dos jogadores do Beira-Mar, este domingo, na receção ao Benfica (1-0) e sublinhou que, a continuar assim, a Liga irá deixar de ser uma "miragem" para a equipa de Aveiro.

"Fico muito orgulhoso com aquilo que os meus jogadores fizeram hoje, com uma resposta muito significativa e se continuarmos assim, a I Liga deixa de ser uma miragem e uma certeza. Há que ter respeito pelos profissionais do Beira-Mar, equipa minha não se galvaniza só com o Benfica, Porto ou Braga, galvaniza-se com todos", começou por dizer, em conferência de imprensa.

O treinador do Beira-Mar afirmou ainda que o resultado mais justo seria um empate e sublinhou que o árbitro do encontro, Manuel Mota, fez um trabalho "positivo".

"Fica uma boa exibição de um grupo que está lá dentro chateado e penso que o empate seria o resultado mais justo, porque o Beira-Mar teve 52 por cento de posse de bola e fez 16 remates frente ao Benfica", rematou. "É uma grande penalidade, na altura pareceu que a bola bateu no braço do meu jogador, mas em todo o caso, se o árbitro apitou, não há nada a fazer. Penso que o árbitro fez um trabalho positivo, não foi pelo árbitro que o Beira-Mar não conseguiu pontuar", concluiu.