"Comportamento de Sá Pinto? É lamentável, os treinadores têm de saber estar"

Álvaro Pacheco, treinador do Vizela

 foto LUSA

Declarações de Álvaro Pacheco, treinador do Vizela, após a derrota por 4-1 frente ao Moreirense, que assim garantiu vaga no play-off.

Análise: "Hoje não estivemos ao nosso nível. A expulsão influenciou todo o jogo. Nas duas primeiras vezes que o Moreirense chegou [à nossa baliza], conseguiu fazer dois golos e não conseguimos reagir. Mesmo com essas adversidades tínhamos de ter feito mais. Perdemos duelos com muita facilidade e depois, com bola, tivemos pouco critério. Foi, sem dúvida, um dia menos positivo da minha equipa. Queríamos acabar com uma vitória, mas não conseguimos. Penso que fizemos uma semana muito boa antes do jogo, mas no jogo fiquei com a sensação que a nossa equipa não conseguia reagir e ligar-se. Estava com uma apatia tremenda. Ainda tentei mexer, não só para fechar os espaços. Os jogadores do Moreirense estavam a entrar pela direita, mas também com bola. Era importante entrar com determinação, disse isso ao intervalo, mas não fomos capazes."

Sentimento: "Não gosto de perder qualquer jogo. O que me custa mais é andar uma época inteira a criar a imagem [do que somos] e irmos para este jogo sem essa imagem, ficando a dúvida se foi por acaso [o que fizemos]. Tínhamos tudo a perder para este jogo, nada a ganhar. Tínhamos de vir cá mostrar o nível em que estivemos. Mas, para mim, perder com o Moreirense ou com outro adversário qualquer é igual.

Comportamento de Sá Pinto no final, dirigido aos adeptos do Vizela [treinador do Moreirense festejou o triunfo junto da bancada afeta aos adeptos do Vizela, que durante o jogo festejaram os golos do Tondela com entusiasmo]: "É lamentável. Os treinadores têm de saber estar. Temos de trazer paz. Acho que é um ato isolado fora do contexto. O Sá Pinto é uma pessoa de bem e tenho a certeza que deve estar arrependido."

Futuro com a base desta equipa em Vizela: "Antes deste jogo a minha ideia era mostrar quem é que pertence a este projeto. A ideia que eu tenho é manter uma grande base, que já vem de há muito tempo, com jogadores que, ao longo do percurso, mostraram vontade de crescer fiéis a este projeto. A maioria dos jogadores tem contratos, mas alguns fizeram uma época extraordinária. O que queremos é uma equipa com coragem para lutar pelos três pontos em todos os jogos. O grande objetivo para a próxima época é caminhar pela tabela acima. É esse o sonho e a ambição."