"O V. Setúbal vai defender juridicamente os seus interesses até ao limite"

"O V. Setúbal vai defender juridicamente os seus interesses até ao limite"
Redação com Lusa

Tópicos

Em causa a polémica em redor do jogo entre Aves e Portimonense.

O presidente do Vitória de Setúbal afirmou que vai até às últimas consequências para defender os interesses do clube, após o Aves ter anunciado, em comunicado divulgado pela agência Lusa, que vai faltar ao jogo com o Portimonense, da 34.ª jornada da I Liga.

Mais tarde, a O JOGO, a acionista da SAD avense, Estrela Costa, afirmou que, afinal, a presença na partida não estará em causa. "Eu não digo que não vamos a Portimão. Apenas solicitei à Liga, por razões desportivas, a não distribuição dos pontos desse jogo", afirmou.

Em declarações à Lusa, Paulo Gomes disse estar "expectante" e "atento" ao desenrolar desta situação, numa altura em que vários clubes, entre eles o Portimonense e Vitória de Setúbal, estão envolvidos na luta pela permanência.

"Se o Aves decidir não ir a Portimão, há uma infração grave e terá de ser eliminado de todos os jogos que fez até agora. Não pode no último jogo usufruir de uma posição para beneficiar o Portimonense, com todo o respeito que tenho pelo clube. Vamos esperar para ver, com a certeza de que o Vitória, juridicamente, vai defender os seus interesses até ao limite", prometeu.

"Se houver uma falta de comparência do Aves com o Portimonense, o Aves terá, segundo os regulamentos, de ficar com zero pontos, perdendo todos os que adquiriu até agora. Isso seria a verdade desportiva, mas, às vezes, no futebol português a verdade desportiva não é bem aquilo que gostaríamos que fosse", referiu.

Paulo Gomes considera que "esta é mais uma novela do futebol português" e não tem dúvidas de que a Liga Portuguesa de Futebol Profissional, organismo que rege a competição, tem de intervir.

"De qualquer forma, estou expectante para saber o que vai acontecer. Esta é mais uma novela do futebol português e a Liga terá de ter uma palavra a dizer. Como sabemos tem sido um campeonato atípico com a covid-19 a atrapalhar e a pará-lo durante mais de dois meses e com os clubes a não terem os seus adeptos nos estádios", lembrou.

Apesar de assegurar estar atento ao desenrolar do processo, o presidente do Vitória de Setúbal garantiu que no Bonfim ninguém faz contas às consequências que uma eventual falta de comparência do Aves poderá ter na classificação. O dirigente sublinhou que o foco do grupo são os dois duelos que restam disputar até ao final da prova.

"O Vitória tem o foco nos dois jogos que nos faltam. É assim que a verdade desportiva nos ensina de que forma nos vamos manter na I Liga. O nosso foco é o Sporting e o Belenenses SAD e é para isso que nos estamos a preparar para poder ficar na I Liga com a dignidade que o Vitória tem como clube e instituição", vincou.

Refira-se que nas partidas que fez com o Aves, o Vitória de Setúbal venceu 1-0, no Estádio do Bonfim, na 14.ª jornada, e, mais recentemente, em 8 de julho, perdeu 1-0 na Vila das Aves, em jogo da 31.ª jornada. Apesar de o Vitória de Setúbal estar há 14 jornadas sem vencer e vir de seis derrotas consecutivas, Paulo Gomes está otimista em relação ao futuro.

"A equipa está unida. Os objetivos e o foco são comuns. Estamos todos a trabalhar no mesmo sentido e estamos todos confiantes de que, internamente, vamos conseguir o nosso objetivo ainda antes do que é pensável", referiu.

Vitória de Setúbal (17.º classificado), Portimonense (16.º) e Tondela (15.º) seguem na classificação com 30 pontos. Na luta pela permanência estão também ainda Belenenses SAD (14.º, com 32 pontos) e o Paços de Ferreira (13.º, com 35). O Desportivo das Aves, 18.º, com 17 pontos, já viu consumada a descida de divisão.