Presidente do Vitória de Setúbal arrasa oposição

Presidente do Vitória de Setúbal arrasa oposição
Carlos Lopes

Tópicos

O presidente do V. Setúbal aproveitou o jantar comemorativo do 107º aniversário do clube para responder às acusações de que tem sido alvo e acusa a oposição de comportamento "antidemocrático, prepotente e indigno".

Perante uma plateia de várias centenas de associados e representantes da Federação Portuguesa de Futebol e Liga, Fernando Oliveira falou num "comportamento antidemocrático, prepotente e indigno por parte de um pequeno grupo de sócios que se acha dono da verdade absoluta".

O dirigente acusa os seus opositores de terem como estratégia a política da terra queimada: "Há algumas pessoas que não só não querem ouvir, como pura e simplesmente não deixam falar. Preferem viver num clima de permanente guerrilha e maledicência, na maior parte das vezes sem argumentos, que só prejudica o Vitória", sublinhou.

Fernando Oliveira puxou dos galões para dizer que, na sua gerência, o clube deixou de ser falado pelas piores razões, na comunicação social. "Foi muito difícil fazer com que o Vitória deixasse de ser visto pelo país como um clube incumpridor em que reinava o caos, mas é muito fácil fazer com que essa imagem volte a ser a nossa", advertiu.

O presidente dos sadinos acusou ainda quem se opõe às suas ideias de "criar a maior instabilidade possível, para derrubar esta Direção, e instalar no poder quem perdeu as eleições, para satisfação de interesses de algumas pessoas que gravitam à volta do clube há várias décadas", acrescentando que os que estes têm para oferecer "é uma mão cheia de nada".

O dirigente máximo dos sadinos sustenta que "há uma oposição organizada há mais de duas décadas que não hesita em colocar o clube sob permanente exposição, chegando até ao ponto de o ridicularizar" e que tem inclusive levado "ao afastamento de patrocinadores", frisou.