"Estive a duas semanas de ser treinado pelo Maradona... Queria morrer"

"Estive a duas semanas de ser treinado pelo Maradona... Queria morrer"
Miguel Nunes Azevedo

Tópicos

Mansilla lembra que esteve a duas semanas de trabalhar com o antigo internacional argentino. Joga agora no Vitória de Setúbal.

Mansilla chegou ao V. Setúbal no último verão, cedido pelo Racing Avellaneda, depois de uma passagem pelo Gimnasia, igualmente na condição de emprestado. Curiosamente, deixou este último clube pouco antes da chegada de Diego Armando Maradona para treinar a equipa. Um desencontro que o jogador sadino lamenta. "Estive a duas semanas de ser treinado pelo Maradona... Queria morrer", brincou o extremo argentino.

Depois da cedência ao Gimnasia, novo empréstimo, agora ao V. Setúbal. E foi da cidade sadina que falou aos compatriotas. Num vídeo em direto para o Instagram de um grupo de apoio ao Racing Avellaneda, clube detentor do seu passe, Mansilla explicou como vive o dia a dia em Portugal. "Aqui há muito medo do coronavírus. Não há uma alma na rua. Não suporto o confinamento, preciso treinar e brincar", admitiu o argentino, que tem cumprido o regime de treino. "O clube dá-nos um plano diferente todos os dias e trouxe uma bicicleta para cada um. Estão a portar-se muito bem", elogiou.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

Com o empréstimo ao V. Setúbal a terminar, Mansilla revela um desejo. "Gostava de voltar ao Racing, um clube maravilhoso", afirmou o extremo, traçando um perfil do futebol português: "Há muita paixão, mas é diferente. Tudo aqui é muito tranquilo", admite.