Wakaso desejado para o meio-campo vitoriano

Wakaso desejado para o meio-campo vitoriano

A contratação de um médio para a posição 6 é prioritária em janeiro. Muito apreciado por Pedro Martins, Wakaso escapou à primeira investida, quando Vitória e Rio Ave já tinham tudo acertado.

Há uma vaga por preencher no interior do meio-campo do V. Guimarães desde que Pedro Martins e a SAD começaram a construir o plantel para 2016/17. Rafael Miranda chegou na perspetiva de reforçar o sector, mas o treinador pretendia mais do que uma nova opção, tendo solicitado a contratação de Wakaso, que acabaria por falhar praticamente em cima do fecho do mercado de transferências, pouco depois de ter sido abortada a contratação do sérvio Darko Brasanac, chumbado nos exames médicos, e que acabaria por assinar pelo Bétis. Com o avançar da época e a baixa prolongada de Rafael Miranda, disfarçada pela adaptação de João Aurélio, essa necessidade tornou-se ainda mais evidente, pelo que os minhotos estabeleceram como prioritária a contratação de um trinco em janeiro e o ganês de 24 anos, cuja ligação ao Rio Ave expira em junho de 2017, mantém-se como alvo preferencial.

Perfeitamente identificado com as ideias de Pedro Martins, com quem trabalhou durante duas épocas ao serviço dos vila-condenses, Wakaso esteve mesmo por um fio no verão, depois de ter motivado negociações avançadas e de o Rio Ave ter dado luz verde à transferência a troco de uma verba a rondar 350 mil euros e de uma percentagem numa futura venda. Só faltava o acordo com o centrocampista e foi nesse ponto que os planos saíram furados: Wakaso considerou baixas as condições oferecidas. O resto já se sabe: nem Mbemba, nem Cafú Phete preencheram o buraco, em jogos.