Vitória passa a ter maioria na SAD após aquisição das ações de Mário Ferreira

Vitória passa a ter maioria na SAD após aquisição das ações de Mário Ferreira

O contrato estabelece que o Vitória vai adquirir, de modo faseado, até 31 de março de 2022, a totalidade das ações que pertencem à MAF

O Vitóri passou a ter a maioria do capital social da SAD, passando de 40 para 51%. A primeira tranche do acordo realizado com a empresa de Mário Ferreira (MAF), foi concretizada no último dia de novembro, tal como fora definido há algumas semanas entre as partes.

Dessa forma, o emblema liderado por Miguel Pinto Lisboa pagou a Mário Ferreira cerca de 1,3 milhões de euros, uma verba disponibilizada pela devolução de suprimentos da SAD ao clube.

Este é, sem dúvida, um momento histórico, atendendo a que desde a sua constituição o acionista maioritário era Mário Ferreira, apesar do Vitória, detentor de 40%, tinha vários direitos fundamentais, nomeadamente de veto.

O contrato estabelece que o Vitória vai adquirir, de modo faseado, até 31 de março de 2022, a totalidade das ações que pertencem à MAF por um preço total de 6,5 milhões de euros. Em resultado desse acordo, em 31 de março do ano do seu centenário o Vitória passará a deter 96,40% do capital social da SAD. A segunda tranche será saldada durante a próxima época desportiva.

O presidente do Vitória, Miguel Pinto Lisboa, que concretiza uma das promessas da sua campanha eleitoral, defendera que a partir do momento em que o clube passasse a ser o detentor da maioria da SAD deveria ser criado um debate interno que permita aos sócios do clube analisarem e debaterem o modelo organizativo da sociedade e a respetiva estrutura acionista, mas tendo como premissa fundamental que o clube tenha sempre, no mínimo, 51% das ações.