Vitória paga o preço de entrada prematura na Europa

Vitória paga o preço de entrada prematura na Europa
Tomaz Andrade

Tópicos

A justificação para o Vitória ainda não ter ganho no campeonato pode estar na entrada precoce nas competições europeias, com desgaste e lesões associadas. Marítimo e Nacional passaram por isso.

O Vitória ainda não ganhou no campeonato ao fim de quatro jornadas e a justificação pode estar na entrada precoce nas competições europeias.

Essa é uma das conclusões a retirar quando se olha para casos semelhantes ocorridos com equipas portuguesas. O Marítimo e o Nacional passaram pelo mesmo esquema nas épocas de 2010/11 e 2011/12 e ambos sentiram imensas dificuldades no início do campeonato.

Na última década, período durante o qual o acesso à fase de grupos da Liga Europa também começou a ser feito através de pré-eliminatórias, só duas equipas portuguesas cumpriram o trajeto feito pelo Vitória esta temporada, ou seja, com seis jogos europeus disputados até esta altura. Marítimo e Nacional percorreram essas etapas, mesmo que não tenham conseguido as qualificações para a fase de grupos nessas épocas (2010/11 e 2011/12), e demoraram muito tempo até conseguirem a primeira vitória no campeonato. O Marítimo só ganhou pela primeira vez à oitava jornada e o Nacional conseguiu-o na quinta ronda.

Com três empates (Rio Ave, Boavista e Famalicão) e uma derrota (FC Porto), a equipa de Ivo Vieira pode estar a pagar o preço de um início de época extremamente carregado e com o foco apontado para a qualificação para a fase de grupos, com custos ao nível do desgaste físico e, claro, das lesões. Convém referir que o treinador recebeu vários reforços já com a qualificação europeia garantida, casos de Léo Bonatini, Lucas Evangelista e Marcus Edwards, o que, aliado às muitas lesões de jogadores, inviabilizou a possibilidade de fazer uma rotação mais eficaz do onze. Seja como for, o caso não é científico e basta lembrar que o Vitória esteve a um pequeno passo de vencer o Boavista e o Famalicão, tendo consentido empates após estar em vantagem no marcador. E no jogo com o FC Porto, na única derrota no campeonato, a equipa ficou reduzida a dez unidades logo no primeiro minuto.

Ainda que não tenham feito o mesmo percurso europeu do Vitória, equipas como o Paços de Ferreira (quatro jogos em 2009/10), Belenenses (quatro jogos em 2015/16) e Arouca (quatro jogos em 2016/17) também registaram um início difícil de campeonato, com triunfos tardios e escassos. No sábado, frente ao Aves, o Vitória pode confirmar a regra.