Sem espaço no V. Guimarães, está de saída para França

Sem espaço no V. Guimarães, está de saída para França

Transferência deverá concretizar-se na próxima semana. O acordo entre clubes é total, faltando apenas acertar a duração e os termos do contrato do lateral-esquerdo Florent

O jogo com o Santa Clara, no fecho do campeonato, foi o último de Florent com a camisola do V. Guimarães, pelo menos nos próximos tempos. Como consequência de uma época em cheio em termos de rendimento e utilização, o lateral-esquerdo suscitou o interesse de alguns clubes e vai mudar-se para França, existindo já um acordo entre os clubes (a identidade do emblema francês ainda é segredo) para a transferência.

O último passo que falta dar será a definição dos termos e da duração do futuro contrato do jogador, que, aos 30 anos, se prepara para auferir o melhor salário desde que é profissional. Já o Vitória será compensado financeiramente com a operação e verá partir um dos jogadores mais caros do plantel (em vencimentos), estando previstas mais saídas do género.

A saída de Florent estava há algum tempo prevista pela sociedade desportiva, não representando de forma alguma uma dor de cabeça para o técnico Tiago Mendes na construção do plantel para a nova temporada.

Cedido pelo Schalke 04 por uma época, com opção de compra de 80% do passe por 800 mil euros, o alemão Jonas Carls foi assegurado pelos minhotos na semana passada precisamente para ser opção para a esquerda da defesa e terá como concorrente direto o brasileiro Mascarenhas, emprestado em janeiro pelo Fluminense, por época e meia, e ainda por se estrear, em virtude de ter sido operado ao joelho esquerdo em março, depois de se ter lesionado com gravidade num treino.

A partir daí, Florent passou a ser o único lateral-esquerdo de raiz disponível, uma vez que Rafa Soares já havia rumado ao Eibar na janela de transferências de inverno. Ivo Vieira prescindiu de requisitar novas opções nas equipas profissionais secundárias do clube (sub-23 ou bês) e a verdade é que só por uma vez se deparou com a indisponibilidade do defesa francês, devido a castigo, compensando então essa baixa com a adaptação do lateral-direito Sacko.

Apesar de ter causado boa impressão, deixou de ser visto como um investimento com grande retorno no futuro, pelo que o Vitória não complicou nas negociações. Em duas épocas no Vitória, somou 52 jogos e dois golos. Só em 2019/20 disputou 42 partidas.

Formado no Le Havre, foi profissional do Leixões, Braga, Moreirense, Panetolikos, Lierse, Stromsgodset, St. Gallen, Belenenses e Vitória.