Exclusivo "Saída do Edwards diminuiu a qualidade do plantel e teve alguma influência"

"Saída do Edwards diminuiu a qualidade do plantel e teve alguma influência"

Três sócios do V. Guimarães ouvidos por O JOGO entendem que não ficar em quinto lugar não é naturalmente positivo, mas "nada está perdido", apesar de dependerem do vencedor da Taça.

O empate com o Boavista no Bessa e o triunfo do Gil Vicente sobre o Tondela colocaram um ponto final na esperança do Vitória acabar o campeonato no quinto lugar. A presença na Liga Conferência está agora dependente da derrota do Tondela na final da Taça de Portugal, contra o FC Porto. "É um sentimento de frustração para os sócios do Vitória, que se habituaram à participação nas provas europeias", admitiu Pedro Xavier, ex-presidente da Assembleia Geral.

"Não é bom estar dependente de terceiros. Os sócios têm grande ambição, sempre se habituaram a ver o clube com projeção europeia e, infelizmente, nos últimos tempos tal não tem acontecido. Só podemos lamentar mais um ano em que não concretizámos o quinto lugar, mas nada está perdido", acrescentou, sublinhando que o Vitória tem de seguir "um caminho de auto sustentabilidade". "No futebol é preciso ter poder de antecipação para arranjar contratações que estejam ao nosso alcance em devido tempo. Não se pode endividar indefinidamente e tem de preparar o futuro com sustentabilidade", defendeu, não duvidando que "o presidente saberá o que terá de fazer para que o Vitória possa ter uma equipa competitiva e que tenha a ambição de lutar não só pelo quinto, mas pelo quarto lugar."