Pandemia "valorizou-o" no Japão e negociações com o Vitória estão para breve

Pandemia "valorizou-o" no Japão e negociações com o Vitória estão para breve

Empréstimo do avançado, sem opção de compra, termina em janeiro e o clube japonês está interessado em segurá-lo. As negociações avançarão no próximo mês

A aventura de Alexandre Guedes na principal liga do Japão poderá estender-se por mais algum tempo, para além de janeiro, mês em que termina o empréstimo ao Vegalta Sendai, sem opção de compra. O clube nipónico está muito agradado com o avançado, segundo melhor marcador da equipa, com cinco golos, e tentará segurá-lo, devendo encetar negociações com o V. Guimarães já em dezembro, logo após o final do campeonato, agendado para o dia 19.

É um cenário do inteiro agrado do jogador de 26 anos, que passou a usufruir de condições financeiras muito vantajosas, devendo o Vegalta propor uma nova cedência com cláusula de compra obrigatória ou avançar com uma proposta de aquisição se o Vitória descartar a renovação do atual empréstimo.

Estando ligado aos minhotos até 2023, Alexandre Guedes é um ativo que a sociedade desportiva pretende rentabilizar, não estando igualmente posta de parte a possibilidade de reincorporar o plantel da equipa principal, atendendo a que a finalização continua a ser um problema nesta temporada: Bruno Duarte foi o único ponta de lança que já marcou (e leva apenas um golo).

Com formação cumprida no São Félix da Marinha e no Sporting, Guedes chegou a representar o Reus em Espanha, tornando-se depois no herói do Aves ao marcar os dois golos da vitória sobre o Sporting, por 2-1, na final da Taça de Portugal de 2018.

Pandemia "valorizou-o" no Japão

O estado japonês deixou de emitir vistos a cidadãos estrangeiros por influência da pandemia e, nessa medida, os clubes da "J. League" estão impedidos de contratar novos atletas fora do país. Todos tratarão de assegurar a continuidade dos que já lá estão, entre quais Alexandre Guedes, autorizado a residir e a trabalhar no Japão por mais tempo e já com a certeza de que o Vegalta Sendai, último classificado, não corre qualquer risco, uma vez que federação japonesa decidiu suspender este ano as descidas de divisão, atendendo ao contexto atual.