"O ódio cego e acéfalo de quem insulta, de forma vil, não pode ser justificação para tudo"

"O ódio cego e acéfalo de quem insulta, de forma vil, não pode ser justificação para tudo"

Vitória de Guimarães solidário com o seu capitão Rochinha, que ontem voltou a ser visado pelos adeptos do Boavista sobre o falecimento da mãe, como já tinha acontecido em outros duelos passados entre as duas equipas

O encontro entre o Boavista e o Vitória de Guimarães, que acabou empatado a uma bola, ficou marcado pelos cânticos dos adeptos axadrezados em relação a Rochinha e ao falecimento da mãe do jogador. O clube vimaranense veio a público mostrar solidariedade com o capitão.

"Se o jogador Rochinha, assim todos os outros jogadores de futebol, estão habituados a ambientes adversos, onde o insulto é fácil, barato e encarado com infeliz naturalidade face aos hábitos vigentes, ainda para mais quando se defronta uma antiga equipa, o homem Diogo Rocha não devia, em momento algum da sua carreira futebolística, ser visado, injuriado e atacado pelo acontecimento mais trágico da sua vida pessoal", escreveu o Vitória de Guimarães, no seu site oficial, prosseguindo a ideia nas linhas seguintes.

"O ódio cego e acéfalo de quem insulta, de forma vil, em qualquer campo de futebol, não pode ser justificação para tudo. Não é difícil para quem insulta, desta forma, colocar-se na pele do Diogo Rocha, que é pai, filho e marido, e de toda a sua família, e perceber o quão errados estão, e o quão injusto seria encontrarem-se numa situação semelhante, em que veriam ser usada, contra eles, uma desgraça pessoal para o afetarem na sua área profissional", pôde ler-se no site dos vimaranenses.

O clube pediu ainda punições severas para aqueles que protagonizam este tipo de comportamentos nos estádios de futebol.

"O futebol não pode ser o palco onde as frustrações pessoais são libertadas. O futebol é muito mais bonito e merece muito mais de todos nós. Adeptos, jogadores, dirigentes, todos têm um papel a fazer nesta luta pela limpeza da imagem do futebol português, e punir severamente este tipo de comportamentos, com sanções agravadas para quem prevarique, torna-se cada vez mais premente. Torna-se impreterível erradicar este tipo de comportamentos, para que possamos, dentro e fora de portas, ser vistos por tudo aquilo que de bom fazemos", escreveu o Vitória, num comunicado lançado um dia após o jogo no Bessa.