"Não temos um ponta de lança muito forte no jogo aéreo"

"Não temos um ponta de lança muito forte no jogo aéreo"

Declarações de Ivo Vieira na a antevisão ao jogo com o Santa Clara, da jornada 17 do campeonato.

Finalização: "Temos que ser melhores no último terço e na finalização. Isso foi evidente no último jogo, como também foi evidente contra o Benfica em casa. Faltou marcar golos. É esse o nosso desejo. Temos que continuar a acreditar e a pensar que é possível melhorar a cada dia que passa. A equipa tem tido um comportamento muito bom em termos de volume ofensivo e há que continuar a acreditar, melhorando na finalização".

Santa Clara: "É uma equipa muito competitiva, organizada e com centrais muitos altos. Tem homens rápidos nas alas. São muito competitivos e disputam qualquer jogo para ganhar, tendo inclusivamente melhores resultados fora de casa. Preparámo-nos para isso tudo, melhorando na finalização para sermos mais felizes. Estamos à espera de um adversário que nos vai criar dificuldades, mas vamos amealhar pontos. É para ganhar".

Grupo frustrado pelos pontos perdidos? "Podem-nos apontar críticas, mas não podem dizer que não fazemos tudo para ganhar ou marcar golos. É claro que não acontecendo golos tudo se torna mais difícil e a equipa fica mais intranquila. Há mais ansiedade. Temos que ter mais discernimento e melhor decisão no último terço. Os jogadores tudo têm feito em termos de empenho e de entrega para ganhar. Temos tido, porém, essa infelicidade na finalização. Há que continuar a acreditar que as coisas vão acontecer de forma normal e natural. Tudo vai melhorar quando a bola rolar"

Confiança: "A equipa tem tido um comportamento muito aceitável na maioria dos jogos. Sabemos, porém, que dominar e sufocar os adversários sem fazer golos motiva alguma tristeza no grupo. Mas há confiança total na ideia e no desempenho dos atletas. Temos que continuar a acreditar que os golos vão aparecer, lutando nesse sentido. Para aquilo que faz, o Vitória precisava de ter mais pontos. Lutamos sempre para conseguir amealhar pontos, a equipa tem feito por isso e isso é uma marca do Vitória. Se continuarmos a acreditar e a pressionar o adversário, poderemos ser mais felizes no futuro. No último jogo, por exemplo, defrontámos um guarda-redes inspirado, que fez um punhado de grandes defesas".

Dificuldades no jogo aéreo: "No passado, esse momento foi um problema e conseguimos resolvê-lo. Todos os momentos do jogo são trabalhados e podemos melhorar a cada dia que passa. Por partida, não temos mais de dois ou três jogadores com agressividade no jogo aéreo. É uma caraterística dos nossos jogadores. Não temos um ponta de lança muito forte no jogo aéreo tanto em termos ofensivos como a ajudar na defesa, não temos um oito ou um lateral que também acrescentem algo nesse capítulo. Temos apenas quase dois centrais por jogo que são jogadores com altura e que acrescentam alguma coisa nesse sentido. Temos, porém, outras coisas boas que os outros não têm e acreditamos nisso. Mas estamos a trabalhar isso. É sempre difícil para alguém de 1,70 metros lutar contra outra pessoa de quase dois metros. Temos que encontrar soluções para esses momentos do jogo".

Reforços altos em janeiro? "É sempre importante acrescentar alguém à equipa com qualidade. Mas esse não é um tema que possamos abordar de ânimo leve. Quando as coisas acontecerem, falaremos. Estamos a trabalhar no sentido de fazer alguns ajustes e também de reduzir a dimensão do plantel"

Final four: "Vai ser um momento fundamental para o Vitória. Vai estar pela primeira vez nessa fase da competição. Mas mal me lembro da data desse jogo. Só estamos focados no jogo com o Santa Clara, porque pode dar-nos muita coisa: os golos que nos faltam e um grande élan para outros jogos".