Moreno após o Vitória-Hajduk Split: "Ninguém tem de baixar a cabeça, nem de ter vergonha"

Moreno após o Vitória-Hajduk Split: "Ninguém tem de baixar a cabeça, nem de ter vergonha"

Declarações do treinador Moreno após o Vitória - Hajduk Split (1-0), da segunda mão da terceira pré-eliminatória da Conference League

Sobre o jogo: "Pelo volume ofensivo, pelas oportunidades e pela qualidade, merecíamos no mínimo ir ao prolongamento. Isto serve de aprendizagem para nós. Fizemos o mais difícil, que era entrar a fazer o golo. Depois não conseguimos ter eficácia ofensiva. Os atletas foram fantásticos. Há um treinador com misto de emoções: frustração por não passarmos a eliminatória, mas satisfação pelo que vi."

Variáveis: "Desde que assumi o comando técnico, sabia da qualidade técnica e da qualidade humana deste grupo. Reconheço que foi difícil para o grupo assimilar o que se passou. Conhecia muitos dos atletas que tinha para treinar. Sabia o que os atletas valiam enquanto profissionais. Há muitas variáveis no futebol."

Objetivo: "Falhámos o primeiro objetivo da época, mas houve uma aprendizagem muito grande enquanto equipa. [Os jogadores] levaram paixão para dentro do campo. Desde o jogo da Croácia [derrota por 3-1] crescemos muito."

Adeptos: "É com este tipo de desempenhos que podemos puxar os adeptos para o nosso lado. Ninguém tem de baixar a cabeça, porque não tem de ter vergonha de nada do que fez. Estamos focados no campeonato. Queremos preparar os atletas da melhor forma para o jogo com o Estoril Praia.

Estratégia e final: "A estratégia do Hajduk [com demoras na reposição de bola] foi muito provocada pela forma como abordámos o jogo. Os atletas são fantásticos. Não tivemos a eficácia para fazer o segundo golo. Durante os 90 minutos, aconteceram coisas bem mais positivas do que no final. Valorizo mais o espetáculo que aconteceu ao longo dos 90 minutos.".