Ivo Vieira: a prenda de aniversário e a questão da renovação

Ivo Vieira: a prenda de aniversário e a questão da renovação
Cláudia Oliveira

Tópicos

Ivo Vieira, treinador do Vitória que esta sexta-feira comemora 44 anos de vida, fez a antevisão ao encontro com o Marítimo, da jornada 16 do campeonato.

Marítimo está a somar mais pontos, é uma equipa mais difícil do que no início da época? "As equipas têm momentos menos bons e o Marítimo ultrapassou essa fase inicial menos boa, com essa troca na liderança e obtendo, no passado recente, outro tipo de resultados. Os clubes procuram, quando sofrem alguma alteração, acrescentar algo mais em termos de jogo e resultado. É isso que tem acontecido, nitidamente nos resultados obtidos. Compete-nos olhar para o Marítimo com respeito, deixando para trás aquilo que são as mudanças, o ambiente, mas acreditando muito no que podemos fazer, no que é a nossa ideia de jogo. Na preparação do mesmo, no fundo já no dia de hoje, acabou por estar conseguida em termos das ideias que podemos levar. Temos de dar consistência a esses momentos, ao que acreditamos, respeitando o adversário, e pensar muito em nós e naquilo que são os nossos objetivos e o que podemos fazer."

De onde advém a dificuldade em somar ponto fora? "Se fizermos um balanço rápido em relação aos empates fica algum amargo de boca, mais no que diz respeito aos jogos em casa do que os jogos fora. Tivemos jogos fora de um grau de dificuldade elevado, contra dois dos grandes, depois lembro-me, na primeira fase do campeonato, em que tivemos alguma dificuldade em termos de compor o onze e a equipa. Lembro-me do jogo no Rio Ave em que tivemos dificuldade nas escolhas, naquilo que eram as opções. É uma realidade. Temos de ser mais audazes no que é atacar o último terço e ter discernimento no último terço e evitar que os adversários possam ferir a nossa baliza. A receita é ganhar mais vezes. Todos nós queremos isso."

Prenda de aniversário: "A prenda que posso ter no dia de hoje é ser feliz no espaço de trabalho que posso usufruir hoje. Tenho a agradecer ao que as pessoas que estão à minha volta, da estrutura, têm feito por mim, a estabilidade no dia à dia e isso é suficiente.

Renovação: "Renovar não é uma prioridade, mas isso está a ser tratado e discutido com as pessoas que tomam as decisões. A prioridade, neste momento, é trabalhar em prol do Vitória, é fazer o melhor pelo Vitória e isso, se depender de mim, e dos responsáveis, nunca vai ser um problema. Vamos ponderar bem as coisas, dar o seu tempo, analisar num futuro próximo e depois tomar decisões".