Sacko: de terceira opção aos olhos da Ligue 1, com um valor em cima da mesa

Sacko: de terceira opção aos olhos da Ligue 1, com um valor em cima da mesa

Trabalhado na equipa B, Sacko começou a época como terceira opção para lateral-direito, depois de Dodô e Victor Garcia, mas acabou por conquistar Luís Castro. Em dezembro, renovou contrato até 2022.

O Stade de Reims, atual nono classificado na Ligue 1 de França, está de olhos postos em Sacko. Segundo a Imprensa francesa, o clube segue-o há algum tempo e prepara-se para oferecer cerca de 2,5 milhões de euros pelo passe do lateral-direito, sendo, no entanto, pouco crível que a transferência se processe pelo valor que será proposto. A SAD do V. Guimarães entende que o jogador de 24 anos tem uma cotação muito superior no mercado e não está disposta a vendê-lo por qualquer preço, sabendo de antemão que o defesa ainda poderá valorizar-se em junho, durante a realização da CAN"2019, para a qual se apurou a seleção do Mali e que Sacko já representou em oito ocasiões.

A mudança para outro clube dentro de meses é um cenário altamente provável e será uma espécie de consequência lógica numa época de sonho. É que o 17 dos minhotos começou por ser encarado como terceira opção para a posição de lateral-direito, depois de Dodô (emprestado pelo Shakhtar Donetsk) e Victor Garcia (cedido em janeiro ao Famalicão), mas depressa conquistou o técnico Luís Castro e tornou-se num dos habituais titulares da equipa, o que levou a sociedade desportiva dos minhotos a acelerar a renovação do seu contrato até 2022 (o anterior vínculo expirava em 2010), blindando-o ao mesmo tempo com uma cláusula de rescisão de 15 milhões de euros. Proveniente do modesto Sint-Truiden, da Bélgica, Sacko foi contratado pelo V. Guimarães em 2015 e, por entre fugazes aparições na equipa principal, foi evoluindo ao serviço dos bês até agarrar a titularidade na formação comandada por Luís Castro logo à terceira jornada, ficando então associado a uma inesperada vitória no Dragão sobre o FC Porto (2-3). Curiosamente, saiu da equipa, aparentemente por mera opção técnica, após a recente visita a Alvalade, marcada por uma derrota, tendo sido encaminhado para o banco de suplentes na receção ao Nacional, da última jornada. O saldo é, porém, largamente positivo: leva 28 jogos somados, incluindo dois na Taça de Portugal, e o Stade de Reims até poderá não ser o único clube interessado.