Três opções extra para Luís Castro depois de um plano furado

Três opções extra para Luís Castro depois de um plano furado
Tomaz Andrade

Tópicos

SAD não encontrou colocação para Francisco Ramos, Rincón e Estupiñán, que passam a fazer parte dos planos do treinador. Todos eles estão inscritos e à espera da estreia.

O Vitória abordou os últimos dias do mercado de verão com a expectativa de emagrecer o plantel, consoante era desejo de Luís Castro, mas o plano acabou furado e o grupo ficou com 30 jogadores. A SAD não encontrou colocação para Francisco Ramos, Rincón e Estupiñán e, nesta altura, só o mercado de Israel permanece aberto, não havendo qualquer oferta desse país para qualquer um dos jogadores. Assim, o médio, o extremo e o ponta de lança estão inscritos na Liga e são mais três opções para o treinador.

Ainda antes do arranque da pré-época, Luís Castro apontou que pretendia trabalhar com um grupo de 24 jogadores e mais três guarda-redes, um número ideal não só para ter soluções para todos os lugares, mas também para gerir as expectativas dos atletas. Com um plantel mais extenso, e apenas com duas competições no calendário competitivo, dificilmente haverá espaço para todos. Seja como for, o contexto mudou para Francisco Ramos, Rincón e Estupiñán. Se até aqui eram mais ou menos vistos como excedentários, com o fecho da janela de transferências os três passaram a ter as mesmas hipóteses dos outros atletas. Por outras palavras, o que conta para o treinador é o rendimento em treino.

Com a chegada de Mattheus Oliveira no último dia do mercado de verão e a permanência de Francisco Ramos, o meio-campo passou a ter nove opções, isto contando com João Teixeira, por vezes colocado numa ala. Com Rincón, o treinador ficou com cinco jogadores para as alas, podendo ainda socorrer-se de João Teixeira e até Tozé. No eixo do ataque, a permanência de Estupiñán aumentou para quatro o número de pontas de lança. O colombiano está a recuperar de uma lesão muscular e ainda não pode ser lançado.