Em Guimarães mora o rei dos cantos sem produtividade

Em Guimarães mora o rei dos cantos sem produtividade
Tomaz Andrade

Tópicos

Ter muitos cantos a favor nem sempre é sinónimo de marcar mais golos e o Vitória é um exemplo perfeito disso mesmo, o que deixa à vista pouco ou nenhum acerto neste tipo de jogadas ensaiadas.

O aproveitamento das bolas paradas ofensivas é um problema para o Vitória. Com mais de um terço do campeonato decorrido, a equipa de Ivo Vieira é a que contabiliza mais cantos a favor, embora com um usufruto muito baixo: um golo marcado apenas. Anteontem, em Setúbal, o panorama não fugiu ao que tem sido regra, ou seja, a equipa ganhou a marcação de sete cantos e não obteve qualquer partido dos lances.

Nesta análise, com recurso às estatísticas da "Wyscout", convém dizer que apenas se contabilizam os golos marcados ao primeiro toque depois da cobrança do canto, ou seja, ficam de fora os que são obtidos posteriormente na sequência dessas jogadas. Mesmo assim, o valor é muito inferior ao número de cantos conseguidos. No encerramento da 12.ª jornada, ontem, o FC Porto recebeu o Paços de Ferreira e aproximou-se do líder deste ranking, o Vitória, somando 84 pontapés de canto. Contra os pacenses, os dragões beneficiaram de oito destes lances de bola parada, inaugurando o marcador, por Loum, num deles.

O escasso aproveitamento de jogadas de bola parada ofensivas, sobretudo cantos, não impede que a equipa vitoriana seja a quarta mais concretizadora do campeonato, com 20 golos apontados. Ou seja, uma melhoria na finalização na sequência destas jogadas daria claramente outros argumentos à equipa.

O único golo marcado pelo Vitória no campeonato após a cobrança de um canto foi conseguido por Tapsoba, na quinta jornada, frente ao Aves (5-1), uma cabeçada triunfante ao primeiro poste depois de uma bola colocada por Lucas Evangelista com o pé esquerdo. O jogo em que a equipa de Ivo Vieira teve mais cantos a favor foi com o Famalicão (12), logo seguido pelo dérbi com o Braga (11). Ora, nesses jogos o Vitória só marcou um golo, por Davidson, em jogada de bola corrida. O jogo com o Sporting foi o que resultou em menos cantos para os vitorianos (quatro), também sem consequências.