Caso Marega: V. Guimarães começa a cumprir jogos à porta fechada esta quarta-feira

Marega foi alvo de insultos racistas em Guimarães na época passada

 foto Miguel Pereira/Global Imagens

Liga emitiu comunicado. Sanção de três jogos à porta fechada estende-se até à próxima temporada.

A Liga emitiu esta segunda-feira um comunicado em que confirma que o Vitória de Guimarães vai cumprir o primeiro de três jogos à porta fechada já esta quarta-feira, frente ao Famalicão, na 32.ª jornada da Liga NOS.

A sanção diz respeito ao denominado "caso Marega", datado da época passada, em que o avançado maliano do FC Porto foi alvo de insultos racistas no jogo entre com o Vitória, no Estádio D. Afonso Henriques. O emblema minhoto foi ainda castigado com uma multa de 53.550 euros.

O organismo que tutela o futebol profissional explica que, além do duelo com o Famalicão, os vimaranenses terão de jogar à porta fechada frente ao Benfica, na 34.ª e última ronda da presente edição do campeonato, e no "jogo seguinte que realize na condição de visitado", apontado já à próxima temporada.

A Liga especifica ainda quem pode aceder ao estádio durante o cumprimento de uma sanção de jogos à porta fechada: "Nos jogos realizados à porta fechada, apenas podem aceder ao estádio: a) as pessoas autorizadas nos termos regulamentares a aceder e permanecer no recinto do jogo, bem como os funcionários do clube visitado que estejam o exercer funções necessários no estádio; b) os elementos dos órgãos sociais dos clubes intervenientes; c) delegado da Ligo, observador do árbitro e os membros da Secção da Área profissional do Conselho de Arbitragem da FPF, bem como os seus assessores e colaboradores; d) as entidades que nos termos do Regulamento das Competições têm direito a reserva de camarote; e) os representantes dos órgãos da comunicação social; f) os jogadores inscritos nos plantéis dos clubes intervenientes."

De salientar que o primeiro-ministro António Costa anunciou que, até ao final da presente temporada, não haveria lugar ao regresso dos adeptos aos estádios, por força das medidas de prevenção contra a pandemia de covid-19.