António Miguel Cardoso critica nomeação de Nuno Almeida: "Inclinação do relvado..."

António Miguel Cardoso, presidente do Vitória de Guimarães

 foto Miguel Pereira/Global Imagens

António Miguel Cardoso, presidente do V. Guimarães, em declarações a O JOGO.

A nomeação de Nuno Almeida para o jogo de sábado entre o Paços de Ferreira e o V. Guimarães não agradou aos responsáveis do clube minhoto.

Em declarações a O JOGO, António Miguel Cardoso, presidente do Vitória, recordou o trabalho do árbitro da AF Algarve no dérbi em Braga, já esta temporada.

"O árbitro nomeado para o jogo em Paços de Ferreira foi o mesmo que apitou o nosso jogo em Braga. Na altura, até falei com o arquiteto Souto Moura, para perceber os problemas da inclinação do relvado do estádio [Municipal de Braga]. Espero não ter de falar com o arquiteto Valdemar Leão sobre a possível inclinação do relvado de Paços de Ferreira. Sinceramente, prefiro acreditar que não vai haver problemas e que a nossa equipa vai conseguir um bom resultado", referiu o dirigente.

António Miguel Cardoso abordou também o funcionamento do VAR: "As entidades estão atentas e as situações que se passaram em Guimarães [contra o Benfica] e na Madeira [no Marítimo-Casa Pia] não podem acontecer. Quando falamos da arbitragem é importante que o VAR também não falhe, como falhou no última jornada, e isso é que é grave. Espero e torço para que o jogo em Paços de Ferreira não tenha casos e que impere a verdade. Que vença a equipa mais forte, a que praticar melhor futebol."

Para o líder dos vitorianos, a época é uma "maratona" e não se pode viver de "ondas emocionais semanais". "O projeto desportivo do Vitória é de médio prazo. Não podemos viver de ondas emocionais semanais. A época é uma maratona e, de qualquer modo, estamos muito satisfeitos com o trabalho desenvolvido pela equipa", declarou.