"A pontuação não corresponde ao caudal ofensivo que a equipa tem apresentado"

"A pontuação não corresponde ao caudal ofensivo que a equipa tem apresentado"
Tomaz Andrade

Tópicos

Treinador do Vitória admite que ter três pontos em quatro jogos no campeonato é manifestamente insuficiente, mas acredita que a situação vai mudar de forma natural

Sobre o jogo com o Aves: "Temos que continuar a ser uma equipa de ataque e que procura a baliza adversária. Não temos os pontos correspondentes ao caudal e volume ofensivo que temos apresentado, mas acreditamos que as coisas vão acontecer de forma natural. Não estou satisfeito com os pontos que temos e os nossos adeptos também não".

Mais opções para este jogo: "É saudável ter um leque de opções alargado. São problemas saudáveis e não daqueles que fazem coçar a cabeça. Mas quero deixar uma palavra para todos os que tiveram espaço na equipa nos últimos jogos, porque lutaram, trabalharam e deram respostas muito boas. Hoje temos mais soluções, mais jogadores disponíveis e isso faz aumentar a competitividade".

Sobre o momento da equipa: "Não vou fugir na rua, no café, na conferência de Imprensa ou dentro do campo. Relato o que vejo, digo o que sinto e procuro ser verdadeiro. Nesse sentido, é nítido que com quatro jogos realizados no campeonato, três pontos é muito pouco. Temos, o mais breve possível, de amealhar pontos. Mas não estou preocupado; estaria se a equipa estivesse longe da nossa ideia de jogo, isto é, proporcionar bons espetáculos, criar muitas situações de golo e dar qualidade ao jogo. Tudo isso tem estado lá, o que me deixa bastante otimista para o futuro. Ainda assim, o presente podia ser melhor, tenho consciência disso. O que tem faltado é marcar mais golos".