Presidente do União da Madeira anuncia duas participações contra Setúbal

Presidente do União da Madeira anuncia duas participações contra Setúbal

O presidente do União da Madeira, Filipe Silva, disse esta terça-feira que serão efetuadas mais duas participações disciplinares contra o Vitória de Setúbal por irregularidades envolvendo o Limianos e a Associação Recreativa e Cultural de Paçô.

Segundo Filipe Silva, "existe documentação determinando que houvesse o impedimento de registo de jogadores no mês de janeiro, por parte do Vitória de Setúbal".

Para o presidente do União da Madeira "começam a ser processos a mais, envolvendo um único clube", ressalvando que a Federação Portuguesa de Futebol terá de "explicar porque é que esta situação acontece".

Filipe Silva assegurou que "ainda hoje [terça-feira] entrarão mais duas participações relacionadas com o Limianos e a Associação Paçô".

"O União da Madeira vive num clima de ambiguidade, pois se desportivamente está na II Liga, não é menos verdade que poderá ficar na I Liga, face à participação disciplinar que foi efetuada anteriormente junto do Conselho de Disciplina, contra o Vitória de Setúbal, por inscrições irregulares ocorridas no mês de janeiro", disse.

O responsável afirmou que a indecisão administrativa pela qual passa o União da Madeira, leva a equipa a preparar a próxima época "em duas fases", ou seja, uma em que procurarão "apetrechar a equipa com jogadores que possam jogar na I ou na II Liga".

"A partir de 01 de julho, se não houver uma resposta positiva, vamos para uma segunda fase onde a equipa será preparada atuar na II Liga", disse.

O presidente do clube madeirense ressalva que devem ser "criadas e dadas condições de igualdade a todos os clubes para poderem competir", afirmando ainda que "a justiça desportiva é morosa, onde as decisões não vêm no tempo certo".

Todavia, asseverou que "o União da Madeira não vai abdicar dos seus direitos e irá até às últimas consequências, pois está consciente da sua razão", enaltecendo que "não existe a mínima dúvida no que está estipulado no regulamento do estatuto da categoria da inscrição e transferência de jogadores, onde as comissões da arbitragem fixam o montante da indemnização pela formação e se o clube devedor não cumprir ao fim de trinta dias, fica automaticamente impedido de inscrever jogadores".