'Vice' do Flamengo revela que investimento na SAD do Tondela está "apertado"

'Vice' do Flamengo revela que investimento na SAD do Tondela está "apertado"

Clube brasileiro, cujos responsáveis visitaram as instalações do clube luso, pretendem comprar parte das ações da SAD beirã, pertencentes em 80% ao Hope Group

Assumido, em setembro passado, o interesse em investir na SAD do Tondela, o Flamengo continua a tentar concluir, ainda em 2021, o negócio com a sociedade do clube da Liga Bwin, embora o vice-presidente do emblema brasileiro tenha dado a entender, esta quarta-feira, que o processo prosseguirá no próximo ano.

"A gente queria ainda este ano [investir na SAD do Tondela]. Está apertado por uma série de fatores. A gente ainda trabalha com o prazo deste ano. Mas está bem apertado", afirmou Rodrigo Tostes, ao 'GloboEsporte', sobre o projeto de internacionalização do emblema outrora treinado por Jorge Jesus.

O clube brasileiro, cujos responsáveis visitaram as instalações do Tondela há poucos meses, pretendem comprar parte das ações da SAD do Tondela, pertencentes em 80% ao Hope Group, liderado pelo ex-jogador David Belenguer, presidente da sociedade beirã.

A entrada no mercado luso, uma das primeiras etapas deste plano além-fronteiras, visa colocar o Tondela a disputar, em três anos, os primeiros lugares da Liga Bwin, desenvolver futebolistas do Flamengo e aproveitar a exposição mediática do principal campeonato para proceder a vendas mais avultadas.

Segundo o 'GloboEsporte', a direção do Flamengo conversa com potenciais investidores para aportarem 50 milhões de euros a uma empresa denominada "Clube Regatas Internacional", que se traduz numa percentagem de 65% do negócio. Os restantes 35% ficarão a cargo do clube do Brasileirão.

Rodrigo Tostes, vice-presidente do Flamengo para a área financeira, revelou, em setembro passado, que a parceria será estendida a clubes de França, Alemanha, dos EUA e da China caso este passo inicial do projeto apresente bons resultados.

O plano de internacionalização, que visa a criação de um conglomerado de investimentos em diversos clubes à escala mundial, foi conjuntamente desenvolvido com o banco BTG Pactual, a consultoria Ernst & Young e a empresa Win The Game.