Tondela-Marítimo teve 51 faltas e Natxo atira: "Também tem a ver com o árbitro"

Tondela-Marítimo teve 51 faltas e Natxo atira: "Também tem a ver com o árbitro"

Natxo González, treinador do Tondela, considera que a maior responsabilidade é das equipas, mas também falou do trabalho do árbitro André Narciso.

Jogo com 51 faltas: "Não foi uma partida brilhante, foi um jogo muito parado, com 51 faltas no total, é muito difícil que haja continuidade. É muito difícil num campo seco, o relvado não está bem, está lento. Entre uma coisa e outra estou de acordo que não foi um jogo atrativo da nossa parte".

Análise do jogo: "Por um lado, estou satisfeito, porque queríamos manter a regularidade defensiva, num dia em que tínhamos muitas baixas nessa linha. (...) Essa parte cumprimos, mas num jogo de ataque, bem, fomos tendo problemas na área contrária. O mais difícil no futebol é atacar. (...) A eficácia não é fácil e temos de manter a regularidade defensiva e ser eficazes para poder ganhar, se não, é impossível".

Responsabilidade pelo jogo faltoso: "Quando um jogo tem tantas faltas, os primeiros responsáveis somos nós, as equipas, mas também tem a ver com o árbitro, com o que permite, se mais, ou menos. Podem ser ambas as partes responsáveis".

Falta de vitórias caseiras e possível desconforto: "É claro que sim. Não sei medir a percentagem, mas claramente fora de casa jogamos muito mais tranquilos e o rendimento individual é melhor fora do que em casa."