"Não vamos respirar até ao último minuto do último jogo", diz Natxo González

"Não vamos respirar até ao último minuto do último jogo", diz Natxo González

Treinador do Tondela elogiou a exibição da sua equipa frente ao FC Porto e voltou a falar sobre a "aflição" da luta pela permanência.

Análise do jogo: "Fizemos algo mais que incomodar, diria. Primeira parte muito bem controlada, um segundo tempo que começa com um golo de bola parada. Um canto que não é, para uma equipa que na bola parada faz muitos golos. Depois fizemos o 2-1, podíamos ter feito o empate e pronto, estivemos bem, qualquer uma das equipas podiam ganhar. Estava a correr bem o jogo, tínhamos o jogo controlado. Poderiam apresentar determinada precipitação. A estratégia tem de estar bem definida".

Diferenças entre as equipas: "Creio que, logicamente, têm avançados muito poderosos, tínhamos de ser um pouco mais fortes no jogo aéreo. Tínhamos de tentar atacar as costas dos laterais. Estivemos bem, sabemos obviamente que a diferença a nível individual é significativa".

Contas da permanência: "Não vamos respirar até ao último minuto do último jogo. Será até ao final. Continuamos a competir bem, não estamos a conseguir somar pontos, mas, se continuarmos assim, o futebol vai dar-nos o que nos está a faltar ultimamente".