Tondela: um estádio em obras a cada ano que passa

Tondela: um estádio em obras a cada ano que passa

Direção do Tondela pretendia receber o FC Porto no estádio João Cardoso, mas vai ter de defrontar os dragões em Aveiro.

O estádio João Cardoso "é um dos mais intervencionados do país", fruto de obras sucessivas que decorreram nos últimos 10 anos, em que o Tondela saltou dos distritais para a I Liga de futebol, revelou fonte do clube.

De acordo com o diretor de comunicação do Tondela, Vítor Ramos, o estádio João Cardoso vem sendo alvo de obras quase todos os anos, de forma a que se ajustasse às constantes subidas de escalão. "Este estádio é dos mais intervencionados do país, mas sempre por boas razões. A caminhada do Tondela nos últimos dez anos foi dos distritais à I Liga e, em todos os anos em que subiu, o estádio teve de sofrer melhorias", sublinhou.

Apesar das várias intervenções a que tem vindo a ser sujeito, estando a última a decorrer desde julho após a subida do clube ao escalão máximo do futebol português, a comissão técnica da Liga deu hoje um parecer negativo às obras do Estádio João Cardoso, impedindo que a partida com o FC Porto, agendada para 28 de novembro, possa realizar-se em Tondela, segundo avançou o clube.

Em comunicado, o clube auriverde lamentou a decisão da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, que surge a 15 dias da realização da partida com o FC Porto, que o Tondela contava disputar no Estádio João Cardoso.

O Tondela, equipa de uma cidade beirã com cerca de 4.500 habitantes, disputava os distritais em 2004/05, tendo alcançado os campeonatos nacionais em 2005/06.

O 'salto' de gigante do clube, fundado em 06 de junho de 1933, ocorreu na última época, com a chegada em 2015/16 ao convívio com os 'grandes', que obrigaram a que o estádio voltasse a sofrer obras de requalificação e ampliação.

Em declarações à agência Lusa, Vítor Ramos destacou que esta é a intervenção mais profunda de sempre que o estádio João Cardoso está a ser alvo e que o vai transformar em "um estádio de primeira categoria".

"As obras estão na sua última fase de construção. O novo recinto ficará com uma capacidade para cerca de 5.000 espetadores e dotado de iluminação artificial, aprovada para jogos televisionados", referiu.

A intervenção maior está "praticamente concluída", faltando "os últimos acabamentos - interiores, bares e casas de banho". "Contamos que até ao final do ano esteja tudo concluído", informou.

Segundo Vítor Ramos, a bancada central, que será a bancada norte, está quase terminada, faltando apenas a cobertura e os últimos detalhes das cadeiras. "Já a bancada de topo, atrás da baliza, está um pouco mais atrasada, estando a ser colocados os degraus. Mas, como não será coberta, a sua conclusão será também mais rápida", acrescentou.

A intervenção no estádio do Tondela, que teve início em julho, obrigou a que a antiga bancada central fosse demolida, por ser muito pequena (capacidade para 300 espectadores, sendo construída uma nova de raiz, com capacidade para 1.500 pessoas.

Já a bancada atrás da baliza, que também só dava para 700 espetadores, terá agora lotação para perto de 2.000 pessoas e "terá bares, casas de banho e espaços comerciais por baixo".

A bancada central-sul - a principal - não sofreu alterações em termos de lotação e os balneários sofreram apenas ligeiras modificações, uma vez que já cumpriam os requisitos para a I Liga.

"Houve apenas alterações estruturais ao nível da sala de imprensa, por uma questão de maior funcionalidade. Foi também melhorado o campo de treinos do complexo, sendo colocado novo relvado, já era natural, mas levou um novo tapete", concluiu.