"Está tudo muito perto, vai ser muito difícil até ao final do campeonato"

"Está tudo muito perto, vai ser muito difícil até ao final do campeonato"
Redação com Lusa

Tópicos

Pako Ayestarán fez a antevisão ao jogo entre o Tondela e o Portimonense, marcado para sábado.

O treinador Pako Ayestarán admitiu esta sexta-feira que o Tondela vai "encontrar muitas dificuldades" em casa do Portimonense, em jogo da 22.ª jornada da Liga NOS, e que, por isso, terá "de estar a 100%".

"Vamos encontrar muitas dificuldades e temos de estar a 100%. Temos de ser capazes de superar as dificuldades, e vamos ter muitas durante o jogo, momentos em que espero sermos capazes de controlar o jogo e momentos em que o Portimonense nos vai "apertar"", advertiu Pako Ayestarán.

Em conferência de imprensa de antevisão ao jogo de sábado, pelas 15h30, no Estádio Municipal de Portimão, o técnico espanhol considerou o Portimonense uma "equipa proativa" e que "é capaz de colocar o adversário a jogar no seu próprio campo".

"Esperamos que isso não aconteça amanhã [sábado] (...) Cada vez mais cada ponto é mais importante para nós, está tudo muito perto, e vai ser muito difícil até ao final. Todos sabemos o que está em jogo e todos temos a responsabilidade de "sacar" estes jogos que estão pela frente", reconheceu.

Com "a intenção de ganhar sempre presente", a equipa beirã ruma a Portimão consciente de que "é difícil, mas sempre com a mesma intenção" de conseguir os três pontos, a fim de assegurar o quanto antes a manutenção na I Liga de futebol.

"A equipa tem de estar preparada para jogar em qualquer situação. Em todos os jogos apresentam-se situações" diversas, reconheceu o técnico, lembrando que, "às vezes, depende do adversário e da pressão que faz" sobre o Tondela para que possa reagir.

Nos seu entender, "há jogos em que se pode ter iniciativa e colocar a equipa adversária no seu próprio campo" e há outros em que "é necessário defender em bloco baixo" e é por isso que o técnico quer os seus jogadores "preparados para tudo".

"Já demonstrámos que somos capazes do melhor, e também do pior, mas penso que cada vez mais somos capazes de mostrar a nossa melhor versão e isso é o que pretendemos frente ao Portimonense", assumiu.

Ayestarán defendeu ainda que o importante é o dia a dia e não o amanhã, uma vez que no seu entender "é hoje que tem de se ser capaz de superar as dificuldades e de dar o máximo" e esse é que, no seu entender, "deve ser o foco de cada um".

"Na verdade, não estou preocupado com os pontos em jogo, mas sim em fazer o melhor. Hoje, por exemplo, não pensei em amanhã [sábado], pensei em como rentabilizar ao máximo os 40 minutos de treino que tivemos", admitiu.