Varandas tem uma missão: recuperar estrelas para dar cabedal ao plantel

Varandas tem uma missão: recuperar estrelas para dar cabedal ao plantel
Filipe Alexandre Dias/Duarte Tornesi

Tópicos

Presidente do Sporting quer recuperar pesos pesados para apetrechar a equipa para a próxima época.

Determinado a construir um plantel forte ao nível de qualidade e experiência para atacar, em força, a temporada 2020/2021, a estrutura de futebol comandada por Frederico Varandas está, segundo O JOGO apurou, a estudar a possibilidade de avançar para a repatriação de talentos com selo de qualidade "made in" Academia, bem como de jogadores com uma forte ligação ao emblema de Alvalade.

O objetivo passa por "agarrar" referências que possam juntar-se aos jovens talentos do plantel na missão de construir um esquadrão capaz de lutar pelos títulos que faltaram esta época e à cabeça da lista elaborada pela SAD surge o ex-capitão Adrien, mas também há espaço para nomes como Miguel Veloso, Cédric, João Mário e Slimani.

NÃO SAIA DE CASA, LEIA O JOGO NO E-PAPER. CUIDE DE SI, CUIDE DE TODOS

Atualmente cedido ao Mónaco pelo Leicester, o antigo capitão dos leões não conseguiu reproduzir no estrangeiro o patamar de excelência que o levou a ser transferido por 25 milhões de euros para Inglaterra no derradeiro dia do mercado de verão de 2017. Na altura, num negócio que fez correr muita tinta, o atleta ficou impedido de jogar durante quarto meses à boleia do atraso da documentação enviada pelo Sporting. Contudo, o episódio não servirá de entrave para um futuro regresso a Alvalade, pois, em várias entrevistas, o médio sempre dirigiu a sua frustração para o então presidente Bruno de Carvalho e não para o clube. Um eventual negócio também poderá ser facilitado pelo facto do internacional português estar a entrar no último ano de contrato, com o Leicester a correr o risco de o ver partir a custo zero para outro clube já no final do presente ano civil.

Opções de compra são obstáculo
O cenário verificado no caso de Adrien é praticamente semelhante ao de Slimani. Tal como o antigo capitão do Sporting, o avançado argelino também está cedido pelo foxes ao Mónaco, mas, no seu contrato, está prevista uma opção de compra que os monegascos estão inclinados a acionar face ao pecúlio goleador do jogador em 2019/2020: nove golos em 19 jogos; o mesmo sucede com Cédric Soares. Emprestado pelo Southampton ao Arsenal até final da presente temporada, o lateral ficará livre após o término das competições, mas os gunners têm direito de preferência na sua contratação.
Já o caso de João Mário parece ser o mais bicudo de todos. Alvo de um "namoro" antigo por parte de Frederico Varandas, o internacional português está, atualmente, cedido ao Lokomotiv de Moscovo pelo Inter com os russos a salvaguardarem uma opção de compra de 18 milhões de euros. O valor não é considerado astronómico pelos moscovitas e a hipótese de o desembolsarem com a perspetiva do jogador se valorizar no Campeonato da Europa, adiado para o próximo ano, deu ainda mais força à intenção de o adquirirem em definitivo.

"Nega" não reduziu desejo presidencial
No início da presente temporada, Frederico Varandas chegou a sondar Miguel Veloso para um regresso a Alvalade, mas este declinou a possibilidade, optando por dar sequência à sua aventura em Itália ao assinar pelo Hellas Verona até ao final da presente época desportiva. Aos 33 anos, o médio formado no Sporting tem feito uma época acima das expectativas, ao ponto de capitanear um emblema onde tem "apenas" alguns meses de casa, mas o difícil contexto provocado pela pandemia da Covid-19 pode representar uma alavanca para o regresso a casa. Nunca escondeu o carinho pelo "seu" Sporting.