Varandas explica reunião recusada e responde com obra feita

Varandas explica reunião recusada e responde com obra feita

Recusa de reunião relaciona-se com competências: "a convocatória de Assembleias Gerais do Clube pertence à Mesa da Assembleia Geral e não ao Conselho Diretivo", esclarece

No seguimento do comunicado do movimento "Dar Futuro ao Sporting" emitido na tarde desta segunda-feira, O JOGO teve acesso à resposta que foi dada pelo Conselho Diretivo presidido por Frederico Varandas à solicitação de uma reunião. Esclarecendo "que a competência para a convocatória de Assembleias Gerais do Clube pertence à Mesa da Assembleia Geral e não ao Conselho Diretivo", a carta evoca todo o trabalho realizado até à data desde a eleição dos atuais órgãos sociais, a 8 de setembro de 2018.

Leia a carta na íntegra:

"Caros sócios António Lonet Delgado, Carlos Mourinha e Filipe Cuco Ferreira,

No passado dia 08 de setembro de 2018, este Conselho Diretivo foi eleito democraticamente, naquela que foi a Assembleia Geral com maior participação de sócios de sempre da história do clube.

Desde então que esta Direcção do Sporting Clube de Portugal (SCP) está a trabalhar para dar um futuro ao clube, tendo desde a imediata tomada de funções assegurado a solvabilidade financeira do Sporting e lançado os pilares do projeto de construção da base que permitirá a sua sustentabilidade.

Foi assegurado o reembolso do empréstimo obrigacionista cujo o vencimento original tinha sido protelado tendo consequências diretas na credibilidade e reputação do Sporting junto dos investidores. Foi também emitido um novo empréstimo obrigacionista em condições extremamente adversas e num curtíssimo espaço de tempo, mas que, ainda assim, registou o maior número de obrigacionistas de sempre.

Resolvemos as necessidades urgentes de tesouraria na ordem dos 125 milhões de euros, através de uma operação de financiamento que permitiu ao clube o cumprimento do fair-play em data limite e a respetiva manutenção nas competições europeias. Ao dia de hoje, fruto desta dedicação e esforço, e do acordo da restruturação financeira conseguida com os bancos, o SCP procedeu à regularização de todas as suas obrigações pecuniárias vencidas, encontrando-se assim em cumprimento com as entidades bancárias pela primeira vez desde de 2017. Adicionalmente melhorou as condições de retenção de passes de venda de jogadores, reduzindo de 50% para 30%, e negociou a alteração dos termos da opção de compra dos VMOC tendo sido fixado um preço unitário fixo correspondente a 0,30 € por VMOC, reforçando o compromisso de continuidade e melhoria da participação maioritária do clube como acionista da SAD.

Foram ainda resolvidos os diferendos de resolução de contrato com os atletas Rui Patrício, Gelson Martins e Daniel Podence, e minimizado em consequência o efeito financeiro de delapidação de ativo para o clube, assim como procedemos à renovação do plantel, assegurando a poupança da massa salarial.

O último mercado de verão marcou também um recorde de vendas de cerca de 55M€.

Dar futuro ao Sporting é investir hoje nas bases críticas de sucesso para o clube, semeando no curto-prazo, apostando na Formação e Futebol Profissional, tendo sido já efetuado nesse sentido um investimento na Academia para a remodelação dos atuais campos e a renovação das infraestruturas de apoio desportivo, num projeto que colocará em 2022 a nossa Academia de novo uma referência a nível mundial, lugar de onde nunca deveria ter saído.

O regresso ao nosso ADN estendeu-se, além da Formação, ao Ecletismo do clube, na conciliação e competitividade em todas as modalidades que formam o Sporting num só.

Na época desportiva de 2018/2019, o Sporting Clube de Portugal venceu a Taça de Portugal e a Taça da Liga no futebol. Os nossos Sub-15 ficaram em primeiro lugar no Campeonato Nacional, vencendo também a Divisão de Honra AF Lisboa nos sub-14 e a I Divisão AF Lisboa nos Sub-14 B.

Nas restantes modalidades o Sporting trouxe ao Museu 8 taças europeias: fomos campeões europeus em cinco modalidades: futsal, hóquei em patins, atletismo feminino, judo e goalball feminino e masculino. A estas conquistas acrescem os dois títulos de campeão do mundo nos mundiais de Judo em Tóquio por dois atletas do Sporting e a revalidação da conquista da Liga dos Campeões em Judo, coroando os nossos atletas como Reis da Europa - subindo para 37 o número de títulos europeus do clube.

Resumindo, com o futsal masculino vencemos a Liga dos Campeões, a Supertaça (duas vezes) e a Taça de Portugal; no futsal Sub-20 vencemos o campeonato nacional; no Hóquei em Patins ganhámos a Liga Europeia; os nossos juniores venceram o Campeonato Nacional de Andebol; alcançámos o 1º ligar da II Divisão no Voleibol feminino. No Atletismo masculino, conquista do 1.º lugar no Campeonato Nacional de Estrada e no Campeonato Nacional de Corta-Mato; no Atletismo feminino conseguimos o 1.º lugar no Campeonato Nacional de Estrada, na Taça dos Clubes Campeões Europeus de Corta-Mato, no Campeonato Nacional de Corta-Mato, no Campeonato Nacional de Pista Coberta e no Campeonato Nacional ao Ar Livre; no já citado Judo, além de duas Ligas dos campeões, também vencemos o Campeonato Nacional. No Ténis de Mesa sagrámo-nos tetra Campeões, vencendo também a Taça de Portugal e a Supertaça; o nosso rugby conquistou a Taça Ibérica, o Campeonato Nacional, a Taça de Portugal e a Supertaça; na Natação conseguimos o feito de ser Octacampeões; na Ginástica (Trampolins) fomos campeões nacionais por equipas (masculinos) e no Goalball fomos Campões Europeus (masculinos e femininos), vencendo também o Campeonato Nacional, a Taça de Portugal e a Supertaça. Neste período, conseguimos também o regresso do Basquetebol, depois de 24 anos de ausência.

As nossas ações não se esgotaram, porém, nestas conquistas. A maior conquista do Sporting, e desta Direção na sua representação, é dar mais aos sócios, de forma continua, crescente e melhorada, aproximando e facilitando a relação do sócio com o clube. Apenas a título de exemplo, abrimos um nova Loja Verde no estádio, com enorme sucesso de resposta por parte dos sócios, e aumentámos o número de portas de 4 para 7 para melhorar a experiência e segurança nas entradas e saídas em dias de jogo. Em 18/19 as receitas de bilheteira em competições oficiais subiram comparativamente à época de 17/18 e na Sporting TV atingimos as melhores audiências de sempre. E ainda só passaram 14 meses.

Aproveitamos ainda para esclarecer que a competência para a convocatória de Assembleias Gerais do Clube pertence à Mesa da Assembleia Geral e não ao Conselho Diretivo do Sporting Clube de Portugal. Saudações leoninas,

O Conselho Diretivo."