"Tem a ver com situação do Sporting"

"Tem a ver com situação do Sporting"

O treinador do Sporting não gostou de perder o defesa-central em fevereiro e aproveitou para criticar a UEFA e a FIFA por permitir estas transferências.

Jesualdo Ferreira não deixou de responder e assumiu: a saída de Xandão, em fevereiro, foi uma notícia que não gostaria de ter recebido. "Não foi de todo agradável, mas surgem, acontecem na nossa vida e tem a ver com o que é a situação atual do Sporting. Não conseguimos acompanhar propostas. Evoluiu bastante, tem boas condições e mercado apetecível, sobretudo quando é mercado com dinheiro e fora de regras", disse o treinador do Sporting.

O facto do mercado de transferências não encerra para todos os europeus a 31 de janeiro é algo que escapa ao conhecimento do técnico leonino. "Se termina em fevereiro deveria ser para todos. Qualquer russo ucraniano pode vir e levar, não dá sequer possibilidade de substituir. É das regras que não consigo entender. A UEFA e FIFA é que têm a força e controlam a situação. Regras deviam ser iguais para todos. Ficamos reduzidos aos que temos, é com estes que vamos para a guerra e para a luta", disse.

Sobre quem jogará na defesa em Barcelos, na partida com o Gil Vicente, nenhuma pista. "Por causa disto não dei convocatória, se não teriam possibilidade de ver o que é".

E sobre salários em atraso no Sporting, conforme denunciado pelo pai de Xandão, pouco disse também. "Não sei, são questões que eu não posso responder. Não tenho dados suficientes. São consequências inevitáveis da situação. Não posso responder com a frontalidade que desejariam. Acontece com frequência tremenda e resolve-se, são duvidas e vamos ter de viver com isso", concluiu.