Sporting recusou oferta por Bruno Fernandes e Tottenham volta à carga

Sporting recusou oferta por Bruno Fernandes e Tottenham volta à carga
Rui Miguel Gomes

Tópicos

Steve Hitchen, homem de confiança de Daniel Levy, "chairman" do Tottenham, encontrou-se com Frederico Varandas e Hugo Viana. Vontade do capitão de se transferir para Inglaterra pode ser determinante.

O Tottenham viu negada pela SAD liderada por Frederico Varandas uma oferta ligeiramente acima dos 45 milhões de euros (M€) por Bruno Fernandes, mas sabe O JOGO que esta manhã ainda deverá realizar-se uma nova ronda negocial entre os dirigentes leoninos e o emissário do emblema londrino que se encontra em Lisboa, no caso Steve Hitchen, homem de confiança do "chairman" Daniel Levy.

Com efeito, Hitchen só tem o regresso a Londres previsto para o período da tarde e, segundo informações recolhidas pelo nosso jornal, conta com a vontade do atleta de se mudar para Inglaterra para, desse modo, dissuadir os dirigentes leoninos no que concerne ao valor solicitado no encontro de ontem para transferir o atleta, acima dos 70 M€.

Ora, os spurs há muito que seguem Bruno Fernandes, manifestaram interesse inicial no atleta para colmatar a possível saída de Eriksen, avançaram por Lo Celso do Bétis - esbarrando nos 70 M€ pedidos pelos espanhóis -, porém há pouco mais de uma semana viraram baterias para Bruno Fernandes. Primeiro, através do agente Miguel Pinho, apontaram com uma verba inferior a 45 milhões de euros, que foi recusada pela SAD, depois decidiram vir a Lisboa acertar agulhas com os leões.

Na quinta-feira à tarde, nas instalações da sociedade no Estádio José Alvalade, o presidente Frederico Varandas e o diretor desportivo Hugo Viana ouviram da boca de Hitchen que o Tottenham está disponível para subir a parada um pouco acima dos referidos 45 M€. Tal não agradou a Frederico Varandas, vincando as diferenças de entendimento das partes sobre a avaliação feita ao jogador. Hitchen saiu da reunião como entrou, mas o Tottenham não desistiu.

É aqui que Bruno Fernandes pode ser decisivo. O jogador quer mudar-se para Inglaterra, está à beira dos 25 anos e a proposta salarial será substancialmente superior aos cerca de 1,2 M€ livres de impostos por temporada que aufere, esperando-o um contrato de cinco anos.

Varandas sabe disso e o descontentamento que uma recusa pode provocar no jogador, assim como nos cofres da SAD. É que a rejeição de uma proposta acima dos 35 M€ implicará o pagamento de 5 M€ ao agente do atleta, isto sem contar com uma eventual melhoria contratual do médio em caso de permanência no clube, nunca inferior ao atleta mais bem pago: Bas Dost, com os seus 3 M€ líquidos por ano. Em toda a equação, resta saber o que fará o Manchester United.