Sporting não vai liquidar Rúben Amorim dentro do prazo, avança a SIC

Sporting não vai liquidar Rúben Amorim dentro do prazo, avança a SIC
Bruno Fernandes/Rui Miguel Gomes/Tomaz Andrade

Tópicos

Braga dá até às 16h00 de sexta-feira para que os leões paguem 11.753.138,88 euros a haver pelo técnico e ameaçam com a Justiça.

O Sporting não vai pagar a dívida de quase 12 milhões de euros (11.753.138,88 - valor exato) que o Braga considera existir pela mudança de Rúben Amorim de Lisboa para o Minho, em março, avançou na tarde desta quinta-feira o programa "Mercado Aberto", da SIC.

A SAD dos leões, explica a mesma fonte, tentou renegociar as verbas junto dos arsenalistas, que se mostraram sempre irredutíveis, ao ponto de endereçarem uma carta registada à administração de Frederico Varandas, na qual apontaram as 16h00 de sexta-feira como o último prazo para a supressão da verba, sob pena de o processo seguir o caminho judicial.

Apesar de o Sporting não comentar oficialmente os processos em cursos com outras empresas cotadas em bolsa, apurou O JOGO que os verdes e brancos entendem que o caráter excecional que foi consequência da pandemia pela covid-19 deveria ter ditado outro caminho para esta pasta, tal como aconteceu com outras, onde os leões são credores.

O Braga vai esperar até às 16h00 de sexta-feira para atuar em conformadide, ainda que no documento enviado para Alvalade, com o conhecimento de Liga, FPF e UEFA, já tenham alertado para o "comportamento inadimplente [incumpridor]" do Sporting.

Aos 10 milhões da cláusula de rescisão de Rúben Amorim, acrescem, segundo o Braga, 1,23 milhões pela falha automática do pagamento da primeira tranche, de 5 milhões, logo em março, mais juros de mora num valor a rondar os 440 mil euros. A este valor pode ainda somar-se mais juros vincendos, assim como uma multa de 1,7 milhões (a pagar à Liga) por novo atraso.