Sporting conclui parte da reestruturação da dívida à banca, oito anos depois

Sporting conclui parte da reestruturação da dívida à banca, oito anos depois

Dívida estava avaliada em 240 milhões de euros.

O Sporting conseguiu, oito anos depois, concluir parte da restruturação da dívida à banca. O emblema leonino converteu as obrigações compradas ao BCP em capital da SAD através de dois aumentos de capital, no valor global de 83,6 milhões de euros, realizados na semana passada. Assim, o clube assegura a maioria das ações na sociedade.

Para fechar definitivamente o processo de reestruturação financeira, assinado em 2014, falta apenas um entendimento com o Novo Banco.

O Sporting anunciara, em março, um acordo com o BCP para comprar os Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC), de 83,7 milhões de euros, por apenas 14 M€ - um perdão de dívida na ordem dos 83 por cento, acima dos 70 por cento que acordados há três anos.

Há aproximadamente um mês, as duas AG's de obrigacionistas da SAD deram o aval à operação de recompra das 83,6 milhões de VMOC que tinham o valor de um euro cada por apenas 17 cêntimos. Na altura, ficava a faltar ainda um passo para concluir a operação: a conversão dos VMOC em capital da SAD, o que aconteceu na semana passada, quando a SAD concretizou então os dois aumentos de capital por conversão dos títulos de dívida no valor de 27,57 milhões e 56 milhões de euros.

A SAD fica agora com um capital total de 150,6 milhões, mais do dobro do que tinha antes da operação. A conversão dos VMOC foi comunicada esta quinta-feira à CMVM.

Com esta ação - conversão dos VMOC - foram diluídas as participações de Álvaro Sobrinho, dono da Holdimo e ex-presidente do BES Angola (de 29,851% para 13,283% do capital da sociedade) e de Joaquim Oliveira, Olivedesportos, (de 3,186% para 1,418%) na SAD do Sporting, enquanto o clube reforçou o seu peso.