Sporting com Rumo quer manutenção da maioria da SAD e eleições com segunda volta

Sporting com Rumo quer manutenção da maioria da SAD e eleições com segunda volta
Redação com Lusa

Tópicos

Iniciativa juntou nos últimos dois meses mais de 50 conhecidos sócios em debates.

A introdução de uma segunda volta nas eleições e a manutenção da maioria da SAD são algumas das conclusões da iniciativa Sporting com Rumo, que nos últimos dois meses juntou mais de 50 conhecidos sócios em debates.

O documento, divulgado esta segunda-feira e entregue na última quinta ao presidente da Mesa da Assembleia Geral, Rogério Alves, resulta de sete jornadas de conversas sobre o Sporting, ocorridas em junho e julho, que foram transmitidas na Internet e que contaram com vários antigos dirigentes, mas também sócios ligados a outras as áreas da sociedade.

"Não houve consensos em alguns dos temas abordados, houve até opiniões opostas, mas foi respeitado o espírito democrático que se pretendia, e, por conseguinte, todos os participantes puderam dar livremente a sua opinião, independentemente de quem apoiaram ou apoiam na conjuntura atual do Sporting", lê-se num comunicado da iniciativa.

Entre as ideias apresentadas ao presidente da Mesa da Assembleia Geral, destaca-se a manutenção da "maioria do Capital na SAD a todo o custo, embora se equacione a participação de investidores a quem se poderia atribuir a gestão sem perda de maioria" e a eleição do presidente apenas com maioria absoluta.

"Caso não exista maioria absoluta, os estatutos ou o regulamento eleitoral devem prever uma segunda volta entre os dois candidatos mais votados", lê-se.

No mesmo documento, a iniciativa Sporting com Rumo mostra-se a favor do lema "um sócio, um voto" e contra a introdução do sistema de I-Voting, algo que está a ser implementado pela atual direção liderada por Frederico Varandas.

"Esse sistema não garante votação segura e por isso não deve ser implementado já, embora se equacione a possibilidade de uma votação eletrónica mais descentralizada, com mesas de voto noutras regiões do país", refere a iniciativa.

A Sporting sem Rumo aponta igualmente a necessidade de separar o clube e SAD a nível de gestão.

Ao longo de sete sessões, foram debatidos temas como governação, revisão estatutária, estabilidade financeira, futebol e modalidades, estratégia institucional e segurança, e a marca e comunicação.

Entre as figuras que participaram nas jornadas destacam-se nomes de antigos dirigentes como Miguel Salema Garção, Carlos Vieira, o antigo jogador Marco Caneira, e figuras ligadas à política, à justiça e à economia, entre as quais Luís Filipe Menezes, Miguel Relvas, Jorge Coelho, Miguel Poiares Maduro e António Pires de Lima.