Sarabia: a decisão de rumar ao Sporting, os "oitavos" da Champions e Rúben Amorim

Sarabia: a decisão de rumar ao Sporting, os "oitavos" da Champions e Rúben Amorim

Avançado espanhol, emprestado pelo PSG ao Sporting, concedeu uma longa entrevista ao jornal "Marca".

Chegada ao Sporting: "Foi um processo que começou há muito tempo. Depois da covid-19 tive dificuldade em apanhar o ritmo: ficava cansado. Passei um pouco mal durante 5-6 meses. Sofri várias lesões e comecei a jogar menos em Paris. Queria encontrar uma solução, porque acho que estou num momento muito bom, talvez o melhor da minha carreira, e queria mostrar-me ao mundo e desfrutar do futebol. Com a crise causada pela covid-19, não é fácil. Quando surgiu a oportunidade de vir para aqui, quem está à minha volta e eu decidimos que era o melhor para mim como futebolista e como pessoa."

O papel de Adán: "Falei com Adán. Jogámos juntos na formação do Real Madrid e ele disse-me que aqui ia estar muito bem. O Sporting tinha acabado de ganhar o campeonato. A última época foi muito boa e espero que a possamos repetir."

Manchester City nos "oitavos" da Champions: "É um adversário muito, muito forte, na minha opinião. Era o adversário mais forte que nos podia calhar, como o Bayern. Tem grandes jogadores e conhecemos o seu treinador. Guardiola dá muito valor à saída de bola e ao futebol posicional."

Rúben Amorim: "É um treinador com ideias claras e uma ambição incrível, um vencedor. Isto é fundamental quando se trata de atingir objetivos. Ele pode conseguir o que quiser. Pessoalmente, temos uma relação muito boa. Taticamente ele trabalha muito bem os jogos. Jogou futebol durante muitos anos e tem conceitos muito bons."

Pode treinar um grande europeu? "É demasiado cedo para dizer, mas ele tem tudo para isso. Se continuar assim, possivelmente vamos ver isso. Ele conseguiu muito em muito pouco tempo aqui."