Rúben Amorim: uma "guerra antiga" que agora arrisca sanção grave

Rúben Amorim: uma "guerra antiga" que agora arrisca sanção grave

ANTF já havia feito queixa e o treinador já havia sido castigado, na altura ao comando do Casa Pia.

A situação "complicada" de Rúben Amorim já vem de longe e agora arrisca um castigo mais grave, depois de o Sporting e o treinador terem sido acusados de fraude pela Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, na sequência de uma participação da Associação Nacional de Treinadores de Futebol em março de 2020, sendo que o técnico arrisca uma pena de um a seis anos de suspensão.

É de recordar que já em 2019, no comando técnico do Casa Pia, havia sido sancionado, tal como o clube, pelo Conselho de Disciplina da FPF, que tirou seis pontos ao clube pelo facto de o treinador ter, enquanto "treinador estagiário", dado indicações em dois jogos. Na altura estava a tirar o nível I, foi proibido de se inscrever como técnico profissional durante um ano e ainda levou uma multa de 2600 euros, para além dos 14 mil aplicados ao Casa Pia. Em maio, e após recurso ao TAD, a decisão acabou por ser anulada pelo Tribunal Arbitral do Desporto.

Já no Braga, a ANTF fez, ao mesmo tempo, queixa de Rúben Amorim, mas também de Custódio, que na era inscrito na ficha como delegado ao jogo por ter o nível I. Amorim estava como treinador adjunto.

Já quando foi apresentado, em março, como treinador do Sporting, foi de novo criticado pela ANTF, sendo que em janeiro Rúben Amorim respondeu, dando o exemplo de Miguel Oliveira, que não tem carta de mota mas é um sucesso no MotoGP.