Rúben Amorim: "O bilhete de identidade não conta na hora de ter sucesso"

Rúben Amorim: "O bilhete de identidade não conta na hora de ter sucesso"

Treinador do Sporting antevê o embate com o FC Porto na meia-final da Taça da Liga.

Foi em tom de agradecimento aos adeptos do Sporting pelo apoio "à distância" na presente temporada que Rúben Amorim lançou o duelo de terça-feira (19h45) com o FC Porto, referente à primeira meia-final da Taça da Liga, que terá ligar em Leiria.

À revista da Liga, o treinador dos leões salienta que espera "grandes jogos" e lamenta as bancadas despidas, ao contrário do que sucedeu nas anteriores edições da competição. "Esta será uma edição em tudo diferente de todas as outras. Não apenas pelas naturais mudanças que época após época ocorrem em todos os clubes, mas pela ausência de quem ama o futebol nas bancadas. Esta nova realidade, com a qual cada um de nós teve de aprender a viver, castiga sobretudo todos aqueles que tanto anseiam por festejar cada golo, aplaudir cada defesa e vibrar com cada jogada bem conseguida. A todos eles estamos gratos pelo suporte que nos têm dado, e será por eles que vamos, uma vez mais, à luta em busca da felicidade", assinala Amorim, vincando o perfil "jovem" da equipa que orienta. Contudo, deixa um aviso: "A qualidade não tem idade".

"Também foi para isto que a competição foi criada. Ao longo dos seus 14 anos de história, já foram muitos os que provaram que o bilhete de identidade não conta na hora de ter sucesso. Os mais experientes lá estarão para lhes dar o necessário apoio, e serão o ponto de equilíbrio em todos os momentos em que a equipa estiver por cima ou por baixo no jogo. A qualidade não tem idade. A ambição é a força motriz de um grupo que tenho o orgulho de liderar. A solidariedade, é a par da qualidade, a nossa grande arma, seja em que campo for, contra qualquer que seja o adversário", acrescentou o técnico do Sporting.