Rúben Amorim definiu lista de compras no Sporting

Rúben Amorim definiu lista de compras no Sporting
Bruno Fernandes | Rafael Toucedo | Rui Miguel Gomes​​​​​​​

Tópicos

O treinador leonino olha para o setor mais recuado como objeto de reforço prioritário

Feddal não é o único elemento que o corpo diretivo da SAD quer adicionar ao sector mais recuado às ordens do técnico Rúben Amorim. Segundo O JOGO apurou, a intenção dos dirigentes leoninos e do treinador passa precisamente pela aquisição de mais um defesa-central, posição para a qual estão a ser estudados vários atletas que foram, por um lado sugeridos por agentes e intermediários, por outro identificados pelo departamento de scouting dos leões.

Os critérios subjacentes a esta contratação também estão definidos. Se Feddal, que ainda está preso por um conjunto de aspetos negociais (ver peça à parte), chegará na perspetiva de ocupar o lado esquerdo da linha de três, sendo ele um defensor experiente e canhoto, o reforço que agora os leões procuram para a defesa tem um item que o diferencia, precisamente a ocupação da zona central ou sobre a direita. Também a experiência e velocidade aqui é são requisitos essenciais, assim como a questão do custo, quer em termos de transferência como a nível salarial.

Os dirigentes leoninos, como é sabido, estão apertados em termos financeiros e olham para as opções que lhes surgem pela frente, dando primazia precisamente à questão económica e ao enquadramento que o jogador possa ter, claro, dentro do possível em termos de qualidade. Para já, diga-se, ainda não há um nome identificado como alvo prioritário, pese o de Jemerson - defensor brasileiro de 27 anos do Mónaco que termina contrato com o emblema do principado no presente defeso - ter surgido como hipótese a ter em conta.

Uma coisa é certa, Rúben Amorim irá manter-se fiel ao sistema tático com três centrais (3x4x3) e para tal tem como pensados para o lote de defesas o capitão Coates (se o mercado o permitir), Eduardo Quaresma, Feddal, Gonçalo Inácio, Luís Neto e mais um reforço.

Dúvida ainda para a questão em torno de Tiago Ilori. Os responsáveis da SAD, mais no caso de Ilori do que no de Neto, a quem reconhecem experiência internacional e capacidade de liderança que pode ser determinante num plantel com muita juventude, olham para o central formado em Alvalade como um nome a negociar na reabertura do mercado de transferências, ele que foi dos menos utilizados por Rúben Amorim desde que este chegou a Alvalade.

Aliás, o técnico leonino chegou mesmo, por opção, a recorrer a Borja - lateral-esquerdo internacional colombiano - para fazer de central do lado esquerdo e inclusive a Acuña, deixando de fora, no banco de suplentes Ilori. Os sinais foram claros para o jogador, que está, de acordo com informações recolhidas pelo nosso jornal, consciente de que terá provavelmente de mudar novamente de emblema se quiser atuar com maior regularidade. Ilori, recorde-se, está vinculado ao Sporting até ao verão de 2024, ele que ainda tem 27 anos.

Ora, perante esta questão, em Alvalade, admite-se uma saída em baixa do jogador, assim como, eventualmente de Luís Neto, se surgir uma proposta vantajosa em termos financeiros para o próprio jogador, que tem 32 anos , ainda que, como referimos, os factores experiência e liderança sejam tidos como importantes no seio do grupo, por toda a estrutura que lida de perto com o futebol profissional.

Feddal: contactos entre os dois clubes mantêm-se
Sporting e Bétis mantêm os contactos por Feddal, procurando desbloquear um processo negocial que tarda em ser resolvido. Três milhões de euros e um contrato de quatro anos estão em cima da mesa, faltam as garantias bancárias para convencer os espanhóis a libertar um atleta que pretende ingressar no emblema de Alvalade.

As provas europeias e o contrato de longa duração são pontos críticos e cativadores para Feddal. Em Alvalade aguardam-se por desenvolvimentos.