Rosario Central vai para a FIFA caso Tanlongo não se apresente

Rosario Central vai para a FIFA caso Tanlongo não se apresente
Federico del Rio

Tópicos

Clube argentino espera pelo jogador no dia 5 de dezembro, caso contrário, anunciou que tomará medidas

Clube argentino reconhece que o atleta será jogador do Sporting, mas vai tomar medidas se este não voltar à Argentina a 5 de dezembro. Está posto de parte o ingresso no Sporting antes do final do contrato.
O Rosario Central vai para a FIFA caso Tanlongo não se apresente a 5 de dezembro, uma semana antes do restante plantel.

"A 5 de dezembro tem de apresentar-se na instituição porque até 31 desse mês é jogador do Rosario Central. Também lhe pedimos que confirme se falou à chegada a Portugal, faltando ao respeito aos adeptos do Rosario. Não tivemos resposta a isso. Seguramente, vamos tomar todas as medidas necessárias tanto a nível regulamentar, como federativo e económico. Se não se apresentar, vai ter as consequências que sejam permitidas pela Associação de Futebol Argentina e pela FIFA", informou em conferência de Imprensa Ricardo Carloni, presidente do Rosario, acrescentando que o futuro do jogador é no Sporting: "Lamentavelmente, não pudemos chegar a um acordo, nem com o pai de Mateo Tanlongo nem com a agência que o representa ou com o Sporting sequer. O Sporting comunicou-nos que iria incorporar o jogador na qualidade de jogador livre."

O secretário do clube, Guillermo Hanono, acompanhou de perto o caso e relatou o processo negocial com o médio. "Era o pai que o representava. A partir de outubro passou a ser a Stellar Group. Isso fez com que tudo começasse do zero. Desde o início do ano que tratávamos deste assunto. Pus tudo de mim para chegar a bom porto, foram meses de chamadas telefónicas. Estava desde os seis anos no clube e era parte do nosso património. Confiávamos nele, era um valor muito importante. Com 16 anos teve um contrato profissional. Foram os pais que assinaram por ele, já que ele era menor de idade. Ficamos com a sensação de que nos faltava algo e por isso tentámos tudo para chegar a um acordo. Tínhamos chegado a um acordo, tinham-nos dado a palavra, de que renovaria até final de 2023. O jogador disse-nos que tinha vontade de ficar, o pai nunca nos disse que não íamos chegar a acordo. O Sporting esteve por trás disto, com a Stellar Group, e disse-nos que vai ter o jogador a partir de 1 de janeiro. O Central baixou as pretensões porque ficámos encurralados e o jogador não está no país sequer. Mas a oferta do Sporting não é aceitável. Colocámos o pedido de 2 milhões de dólares limpos [1,92 milhões de euros] por 80% do passe, mais objetivos. Mas baixámos para conseguir alguma coisa pelo jogador, mesmo ele valendo muito mais. Estabelecemos a fasquia no milhão de dólares [960 mil euros] mais uma percentagem futura", explicou em conferência de Imprensa.