Remunerações na SAD do Sporting: os valores que serão levados a AG

Remunerações na SAD do Sporting: os valores que serão levados a AG

Uma das propostas que será discutida na reunião magna de 29 de setembro prende-se com as remunerações da SAD.

O Sporting divulgou as propostas que serão levadas a discussão na Assembleia Geral de acionistas da SAD, marcada para 29 de setembro.

A destacar há a proposta relacionada com as remunerações na sociedade verde e branca. No ponto 5, é referido que a Comissão de Acionistas reuniu no dia 6 de setembro e decidiu não alterar os termos substanciais da política de remunerações aprovada em 2019, introduzindo, no entanto algumas modificações no documento, de forma a "cumprir as normas previstas na CMVM".

A proposta refere que a remuneração fixa dos membros executivos do Conselho de Administração (CA) da SAD "deverá refletir o nível de experiência profissional relevante (...) e a responsabilidade específica por estes assumida no desempenho das suas funções, sendo fixada em conformidade com os níveis médios
praticados no mercado para funções equivalentes". Os limites são os de 131 mil euros brutos anuais para os membros executivos do CA, com um teto de 182 mil euros brutos anuais para o presidente do CA, neste caso Frederico Varandas.

Posteriormente, surge o tópico da remuneração variável: "Deverá ser determinada anualmente pela Assembleia Geral da Sociedade, com referência ao ano anterior, sob proposta da Comissão de Acionistas, em função do cumprimento de diferentes objetivos desportivos e financeiros, tendo por base um modelo de avaliação de desempenho a aplicar pela Comissão de Acionistas. Os objetivos desportivos e financeiros têm o mesmo peso relativo (50%/50%). Enquanto vigorar esta política, a remuneração variável máxima a atribuir será fixada em 50% da remuneração fixa de cada um dos membros remunerados do Conselho de Administração da Sociedade", assinala a proposta, que acrescenta que os objetivos desportivos prendem-se com os resultados da equipa principal de futebol.

A Comissão de Acionistas propõe ainda a não remuneração dos membros da Mesa da Assembleira Geral, aplicando os mesmos moldes aos membros do Conselho Fiscal e aos membros não executivos do CA. Nestes casos específicos, a remuneração será feita "pela forma que a Assembleia Geral ou a Comissão de Acionistas determinarem".