Relva do Estádio de Alvalade tratada para a luta

Relva do Estádio de Alvalade tratada para a luta
Frederico Bártolo

Tópicos

Em maio expirou o contrato com a empresa "RED" e agora é a SportRelva responsável pelo relvado. A intervenção estava prevista e foi começada durante a pausa para as seleções.

O relvado do Estádio José Alvalade foi remendado na véspera do jogo com o Borússia Dortmund. O tratamento foi levado a cabo nos últimos dias e na segunda-feira procedeu-se à substituição da relva de uma das áreas, a do Topo Sul, isto porque o Sporting percebeu que a situação era mesmo irremediável já que os tufos de relva se vinham levantando em muitos dos últimos jogos dos leões e que o próprio treinador mostrara preocupação com o relvado, quando até sorriu e disse ser bom jogar fora de casa para o tapete "poder descansar".

Jovane Cabral, contra o Varzim na Taça de Portugal, contraiu uma lesão num joelho e essa infelicidade aumentou a urgência de se fazer uma intervenção. Assim, ontem o Borússia Dortmund não teve a oportunidade de se exercitar a campo inteiro. A equipa técnica planeou um exercício com corredores laterais e colocou a baliza amovível um pouco além do meio-campo. Os alemães trabalharam em dois terços do campo, já que foram impedidos de aceder à área do Topo Sul, com os responsáveis leoninos a colocarem uma corda a toda a largura do campo para evitar que alguém pisasse o local, numa altura em que os leões tudo fazem para que a relva assente de forma satisfatória.

Em maio expirou o contrato com a empresa "RED" e agora é a SportRelva, de Celorico de Basto, que está responsável pela manutenção do relvado. A intervenção no tapete estava prevista há algum tempo e foi começada durante as pausas para as seleções, justamente aproveitando o facto de o Sporting não jogar no seu recinto. Será uma incógnita como vai responder a nova relva durante o embate desta quarta-feira, isto porque até a cor, ontem, era distinta do restante terreno de jogo.

Problemas desde a construção

Desde 2016 que o relvado de Alvalade não dava grandes problemas, mas a situação voltou a agravar-se em 2021. O que tem ocorrido de forma cíclica. Especialistas têm sugerido que o tapete do estádio do Sporting apresenta debilidades devido a um problema estrutural na arquitetura do recinto, que não terá avaliado da forma mais correta o arejamento da relva. Isso leva ao surgimento de microclimas e a um crescimento irregular da relva, o que obriga a cuidados diários redobrados, também por que a luz irrompe em várias zonas e noutras predomina a sombra durante o dia.