"Quero agradecer e dizer a todos os sportinguistas que vão ser três anos difíceis"

"Quero agradecer e dizer a todos os sportinguistas que vão ser três anos difíceis"

Rúben Amorim quer fazer do Sporting "muito melhor daqui a três anos"

O treinador do Sporting, Rúben Amorim, disse estar "muito feliz" por renovar com o emblema verde e branco de futebol até 2026, pretendendo "fazer tudo para que seja um clube muito melhor daqui a três anos".

"Quero agradecer e dizer a todos os sportinguistas que vão ser três anos difíceis, sabemos isso. Vamos ter muitas alegrias e, por vezes, desilusões também. Vamos fazer tudo para que o Sporting seja um clube muito melhor daqui a três anos. Agradeço a confiança, estou muito feliz e estou no sítio onde quero estar", declarou, citado em comunicado publicado no sítio oficial dos "leões" na Internet.

Numa nota enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAD "leonina", liderada por Frederico Varandas, dá nota da renovação do vínculo "por mais duas épocas desportivas, ou seja, até 30 de junho de 2026".

Segundo Amorim, "para qualquer treinador é muito importante receber a confiança" da direção, sobretudo porque acha que a equipa atravessa "o pior momento" desde que assumiu o comando técnico.

"No pior momento, o facto de a direção demonstrar interesse em renovar comigo com maior duração é um sinal de grande confiança. Mesmo com os problemas que todas as famílias têm, conseguimos resolver e estamos prontos para mais um ciclo muito difícil de três anos", acrescentou o técnico.

Também citado pelos lisboetas, o presidente Frederico Varandas destacou este como "um dia muito feliz para o Sporting", pelo sinal que dá do trabalho feito pela sua direção, que renova com "um dos melhores treinadores do mundo".

"É, também, um fortíssimo sinal de como o Sporting é um clube forte e estável, sendo a estabilidade a base de todo o sucesso. Um contrato desta duração obriga sempre a que as pessoas que o assinam se revejam a 100% no projeto desportivo e que haja uma confiança extrema entre ambas as partes", notou.

O comunicado não dá conta de qualquer cláusula de rescisão contemplada no contrato do antigo treinador do Sporting de Braga, clube pelo qual se estreou a conquistar troféus, com a Taça da Liga de 2019/20.

Amorim, de 37 anos, conquistou a I Liga em 2021, quebrando o jejum de 19 anos dos "leões", somando-lhe uma Supertaça Cândido de Oliveira e duas Taças da Liga, assinando agora novo contrato que prolonga a ligação entre as duas partes.

Este ano, o emblema lisboeta é quarto classificado no campeonato, foi eliminado da Taça de Portugal, prepara-se para arrancar a participação na Taça da Liga e "caiu" para a Liga Europa, após a fase de grupos da Liga dos Campeões.

Depois de experiências no Casa Pia e no Braga B, o antigo médio subiu à equipa principal dos arsenalistas e os 10 triunfos em 13 jogos chamaram à atenção de Varandas, que contratou o técnico pelo valor da cláusula, 10 milhões de euros.

Na época seguinte, levou os leões a uma conquista que lhes escapava desde 2002, na segunda época marcada pela pandemia de covid-19, a que se junta a Supertaça e duas Taças da Liga.

Na Liga dos Campeões, colocou o clube nos oitavos de final em 2021/22, perdendo com o Manchester City, e este ano ficou em terceiro na fase de grupos, sendo relegado para a Liga Europa, em que vai defrontar o Midtjylland no "play-off".

O antigo futebolista internacional português, que passou por Sporting de Braga, Belenenses e Benfica, entre outros, soma 87 vitórias, 17 empates e 22 derrotas em 126 encontros no comando técnico da formação de Lisboa.