"Partimos muito atrás dos concorrentes... Tínhamos 3% de probabilidade de ganhar o campeonato"

"Partimos muito atrás dos concorrentes... Tínhamos 3% de probabilidade de ganhar o campeonato"

Rúben Amorim, treinador do Sporting, fez a antevisão ao encontro de terça-feira, às 20h30, com o Boavista. Em caso de vitória frente aos axadrezados - e mesmo que o FC Porto vença hoje -, os leões festejam o campeonato.

É o jogo mais importante da sua carreira? "Depende. Poderei dizer isso no fim do jogo. Poderá ser o outro a seguir, ou outro a seguir... É mais um jogo, tem um peso enorme, mas preparámo-lo da mesma maneira. Poderá ter um significado especial, porque já ganhei campeonatos como jogadores, mas como treinador tem uma responsabilidade diferente. Há que pensar na importância neste jogo e temos de vencer."

Esperava estar nesta posição no início da época? "Quando começámos, partimos muito atrás dos concorrentes diretos. Pela época que tínhamos feito, pelas dúvidas, pela remodelação do plantel, pelos muitos jogadores da formação... quase sempre tivemos um júnior em campo. A verdade é que partimos muito atrás dos concorrentes diretos. Vi hoje que, no início da época, tínhamos 3% de probabilidade de ganhar o campeonato. O Braga tinha quatro. Disse sempre que íamos jogar jogo a jogo e só seríamos candidatos a três pontos do fim. Muita gente não concordo com esse discurso, eu pretendo é ter razão no fim. Quando ganhamos, temos sempre razão."

Preparação do jogo: "Tentei fazer tudo com a máxima normalidade. A equipa treinou muito bem, sentimos muita tranquilidade e o nosso foco é preparar o jogo de forma natural, sem mudar uma vírgula. Os jogadores devem estar algo ansiosos, mas vi sempre um entusiasmo muito grande. Talvez pela juventude da equipa."