Os números de Bruno Fernandes e uma certeza: embala para o Mundial

Os números de Bruno Fernandes e uma certeza: embala para o Mundial

Médio leonino é o que tem mais rodagem e rendimento entre os que lutam por uma vaga na Seleção.

As escolhas do selecionador nacional, Fernando Santos, para o próximo campeonato do mundo, na Rússia, onde Portugal surgirá como campeão da Europa, serão certamente apertadas para o sector intermediário e Bruno Fernandes procura ganhar uma corrida que lidera, fruto do rendimento apresentado até ao momento.

Bruno Fernandes voltou a deslumbrar na Europa, novamente frente ao Astana - agora em Alvalade com mais dois golos, que lhe valeram a entrada no onze da semana da prova para o organismo que tutela o futebol europeu -, aumentando o registo da temporada que, diga-se, já é o melhor como profissional de futebol. Com 40 jogos nas pernas, 3212 minutos de competição, apimentados por 13 golos e 14 assistências, Bruno Fernandes dá sinais claros ao selecionador nacional para que olhe para este como um nome a ter em conta no momento de escolher aqueles que devem ser, eventualmente, os sete médios, entre os 23 convocados, chamados para o certame.

Se é certo que William e Danilo Pereira são indiscutíveis por força da posição mais recuada que ocupam no sector, sobram mais cinco lugares e apenas Pizzi, do Benfica, tem apresentado números mais próximos de Bruno Fernandes, ainda assim com menos de metade dos golos apontados pelo médio verde e branco. Entre os que se sagraram campeões europeus em França, há dois anos, João Mário e André Gomes devem permanecer nos escolhidos, ainda que a sua utilização esteja a ser irregular em emblemas como o Inter de Milão (agora West Ham) e Barcelona, respetivamente. João Moutinho tem sido chamado por Jardim no Mónaco e também deverá ir à Rússia, ficando em aberto os postos que em 2016 foram ocupados por Adrien (que voltou a jogar em janeiro e tem hipóteses) e Renato Sanches. E ainda falta Manuel Fernandes, em alta, ou mesmo de Sérgio Oliveira.